• 08/09/2020 11:19
Judiciário

CNJ volta atrás em decisão de ceder servidor “imunizado” contra Covid para assessorar juiz

  • 08/09/2020 11:19
    • Estadão Conteúdo
    Conselho Nacional de Justiça
    A sede do CNJ, em Brasília.| Foto: Gilmar Ferreira/CNJ

    A conselheira Maria Tereza Uille Gomes, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), derrubou uma decisão dela própria que havia determinado que o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) enviasse um funcionário "imunizado" contra a Covid-19 à casa de um de seus magistrados para ficar à disposição dele durante a pandemia. O caso, revelado na segunda-feira (7), repercutiu negativamente no CNJ. A decisão de Maria Tereza havia sido tomada em favor do desembargador Carlos Alberto Lopes. Ela exigiu que o TJ paulista providenciasse alguém que já tivesse sido "infectado pela covid-19" e estivesse "recuperado da doença". Para a conselheira, a situação de Lopes é "peculiar", já que ele faz parte do grupo de risco (por ter 72 anos) e por viver com outras pessoas idosas. Integrantes do CNJ, porém, avaliaram que a conselheira tomou uma decisão controversa, interpretada como mais uma "regalia" para a magistratura.

    Tudo sobre:

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.