São Paulo e Salvador - Quinze pessoas morreram na queda do avião bimotor King Air que decolou por volta das 18h30 de sexta-feira do Aeroporto de Congonhas, zona sul de São Paulo, e caiu cerca de três horas depois a 150 metros da pista de pouso de um condomínio de luxo no povoado de Trancoso, em Porto Seguro, sul da Bahia. Em outro acidente, em Vitória da Conquista, os dois ocupantes de um helicóptero morreram.

O bombeiros de Porto Seguro foram os primeiros a chegar no local do desastre em Trancoso – uma área de mata fechada e de difícil acesso. As vítimas incluiriam 11 adultos e 4 crianças. Entre os mortos estão o dono do avião, Roger Ian Wright, que é sócio fundador da empresa de gestão de recursos Arsenal Investimentos e ex-diretor do Banco Garantia, sua esposa, Lucila Lins, os dois filhos do casal (o economista Felipe e a arquiteta Verônica), além de dois netos, um genro, outras duas crianças, o comandante, o copiloto e uma aeromoça.

Uma equipe do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), de Recife(PE), chegou ao local do acidente na manhã de ontem. Ficaria a cargo do Seripa a divulgação da lista completa com a identificação de todas as vítimas. Tanto a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) como a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), por meio da assessoria de imprensa, informaram que não terão acesso tão cedo à lista dos passageiros.

A primeira mulher de Wright, Barbara Cecilia Luchsinger Wright, também morreu em desastre aéreo, em 31 de outubro de 1999. Ela estava a bordo de um Fokker 100 da TAM, que minutos depois da decolagem, no aeroporto de Congonhas, caiu sobre casas no bairro do Jabaquara, zona sul de São Paulo, causando a morte dos 90 passageiros, seis tripulantes e três pessoas em terra.

Helicóptero

Um helicóptero que saiu de Montes Claros (MG), com destino a Vitória da Conquista, a 509 quilômetros de Salvador, caiu pouco depois das 19 horas de sexta-feira, na Fazenda Quati, na zona rural do município baiano. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a aeronave explodiu depois de bater no solo.

Os dois ocupantes, o piloto e um empresário que não tiveram os nomes revelados, morreram. O piloto do helicóptero chegou a contatar a torre de comando do Aeroporto Pedro Otacílio de Figueiredo para relatar problemas no voo pouco antes da queda. As investigações sobre a causa do acidente tiveram início na manhã de ontem.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]