Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
 | CECILIA BASTOS/USP Imagem
| Foto: CECILIA BASTOS/USP Imagem

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu nesta terça-feira (21) propagandas da fosfoetanolamina, a chamada “pílula do câncer”, como suplemento alimentar. Peças publicitárias em páginas do Facebook alegavam que os produtos continham propriedades terapêuticas não comprovadas.

A Anvisa observa que o suplemento alimentar não pode ter entre suas alegações funções terapêuticas. “Propagandas nas redes sociais que induzam o consumidor a crer que a fosfoetanolamina, como suplemento alimentar, combata o câncer - ou qualquer outra doença - e atribuam propriedades funcionais e/ou de saúde são irregulares”, afirma o texto da agência.

No material de uma das marcas era feita a afirmação de que o produto, cujo lançamento era esperado em breve, seria fabricado nos Estados Unidos e poderia ser importado a partir de março.

A estratégia de vender o produto importado como “suplemento alimentar” foi considerada como uma manobra para driblar as regras existentes no país. A fosfoetanolamina é uma substância ainda em fase de testes no Brasil. Em 2016, o Supremo Tribunal Federal proibiu a distribuição da droga em território nacional.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]