i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Presos de São Paulo

Bíblia não conta para remição de pena por leitura, decide TJ-SP

  • PorGazeta do Povo
  • [13/02/2020] [18:50]
TJ-SP decidiu que livros religiosos não são válidos para redução de pena| Foto: Bigstock

O Tribunal de Justiça de São Paulo declarou inconstitucional a lei estadual que incluía livros religiosos entre as leituras que o preso pode indicar no programa de remição de pena. A remição pela leitura é estabelecida por legislação federal e estabelece que o preso pode reduzir quatro dias de sua pena a cada resenha de livro científico, literário ou filosófico que apresentar.

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou lei, em 2018, para incluir livros religiosos entre as obras que poderiam gerar remição de pena. A lei faz menção específica à Bíblia, estabelecendo que cada um dos 39 livros do Velho Testamento e 27 do Novo Testamento contaria como uma obra literária diferente.

Para os membros do Órgão Especial do TJ-SP, a lei contrariou a Constituição Federal ao buscar legislar sobre matéria de competência federal. A redução de pena pela leitura é regulamentada nacionalmente por uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A constitucionalidade da lei paulista foi contestada pelo Ministério Público Estadual. Ceará, Pernambuco e Maranhão têm leis estaduais semelhantes.

Além da usurpação de competência federal, que levou a sua derrubada, a lei também vinha sendo questionada por eventual desrespeito à laicidade do Estado. Apesar de a lei prever que qualquer livro religioso pudesse ser contabilizado para a remição da pena, a citação específica à Bíblia e a regra própria criada para ela (e não para obras base de outras religiões), com a divisão em vários livros, gerou contestações.

A lei paulista que inclui livros religiosos no programa de remição de pena foi aprovada, pela primeira vez, em dezembro de 2017, mas seus principais pontos foram vetados pelo então governador Geraldo Alckmin (PSDB). Deputados da bancada evangélica, no entanto, criaram um novo projeto com os pontos vetados e o aprovaram. Com a renúncia de Alckmin para disputar a presidência da República, seu sucessor no governo paulista, Márcio França (PSB) promulgou a lei.

Projeto na Câmara dos Deputados

Com o intuito de incluir os livros religiosos entre os eletivos para a remição de pena por leitura na legislação federal, três projetos foram apresentados na Câmara dos Deputados entre 2010 e 2018. As propostas foram apensadas, mas sua tramitação segue lenta. O último projeto, apresentado pelo ex-deputado Takayama (PSC-PR), tem texto bem semelhante à lei de São Paulo, inclusive com a divisão da Bíblia em 56 livros passíveis de redução de pena.

8 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 8 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • L

    LUIZ CARLOS LUGUES

    ± 3 horas

    Estranho, o livro mas importante do mundo não serve para redução de pena. É o prenúncio dos fins dos tempos, como diriam os antigos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • R

      Rubens Marques Farias

      ± 27 minutos

      O ESTADO é laico. porquê só a bíblia, porquê não o alcorão, a tora e todos os outros livros "sagrados" do mundo?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Freitas

    ± 9 horas

    Como é feita a avaliação para se constatar que algum livro foi lido ou não? Tem algum teste?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    DUDU

    ± 12 horas

    "remição" ?? JORNALECO!!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    3 Respostas
    • F

      Freitas

      ± 9 horas

      DUDU: REMIÇÃO: 1. ato ou efeito de remir(-se). 2. liberação de pena, de ofensa, de dívida; perdão, quitação, resgate. >>> REMISSÃO: ação de remitir, de perdoar.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • D

      DUDU

      ± 11 horas

      Fernanda Leitóles: no sentido de abolição total da pena ou parte só cabe REMISSÃO!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • F

      Fernanda Leitóles

      ± 11 horas

      Sim, remição. Veja no CNJ, por exemplo: "Saiba como funciona a remição de pena" - https://www.cnj.jus.br/cnj-servico-como-funciona-a-remicao-de-pena/

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • Z

    Zyss

    ± 12 horas

    Justicinha comunista é assim mesmo....

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.