Sorocaba (SP) - Subiu para 70, ontem, o número de fazendas atingidas pelo chamado "carnaval vermelho" de José Rainha Júnior, líder dissidente do Movimento dos Sem-Terra (MST), no oeste paulista. Novos acampamentos foram montados em fazendas da região de Araçatuba (noroeste de São Paulo), e da Alta Paulista. "Atingimos a nossa meta de apontar as áreas que devem ser destinadas à reforma agrária. A palavra agora está com o Incra", afirmou Rainha.

Grupos ligados a Rainha acamparam nos limites de mais quatro fazendas da região de Araçatuba. Outros acampamentos foram montados na Alta Paulista e um deles no Pontal do Paranapanema.

Os sem-terra usam a estratégia de acampar fora dos limites da propriedade para não incidir na lei federal que impede a desapropriação de fazendas invadidas. A estratégia do líder dissidente, contudo, não foi observada pelos seguidores em pelo menos seis fazendas, que acabaram invadidas. Na Fazenda Beira-Mar, em Teodoro Sampaio, os sem-terra cortaram as cercas e se instalaram no interior da propriedade. Outros proprietários denunciaram invasões.

Hoje, com a volta do expediente nos fóruns da região após o carnaval, a expectativa é de que muitos fazendeiros recorram à Justiça para evitar que suas terras sejam invadidas. Até ontem, apenas uma liminar de interdito proibitório – proibição da invasão – tinha sido concedida. Um fazendeiro do Pontal do Paranapanema também obteve uma liminar de reintegração de posse, que deve ser cumprida hoje.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]