i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Curitiba

Centro Histórico ganha novos ares

Revitalização começou com a Rua Riachuelo, mas outras vias e prédios também passarão por intervenções

  • PorAndré Simões
  • 19/09/2012 21:05
Ministério Público investiga se há exploração de crianças em apresentações natalinas do banco | Antônio Costa/ Gazeta do Povo
Ministério Público investiga se há exploração de crianças em apresentações natalinas do banco| Foto: Antônio Costa/ Gazeta do Povo

Comércio

20% dos imóveis estavam desocupados antes das reformas

Além do poder público, participam do programa de revitalização do Centro empresas e entidades de direito privado, em parceria com a prefeitura. Segundo a coordenadora executiva da Associação Comercial do Paraná (ACP), Iroclê Wykrota, o aspecto sombrio do entorno do Paço contribuía para uma desocupação de aproximadamente 20% dos imóveis da região. "Hoje o fluxo é diferente. Os layouts dos comerciantes também estão mais contemporâneos", afirma.

A consultora do Sebrae Walderes Bello afirma que as reformas do Centro são extremamente positivas, embora ainda persistam problemas como a violência, o tráfico de drogas e a prostituição, solucionáveis apenas a longo prazo. Na semana passada, Walderes recebeu consultores do Sebrae vindos de diversos outros estados para estudar aspectos da revitalização do Centro de Curitiba, tomada como modelo.

"O melhor é ver a união dos empresários discutindo como melhorar, a região está cada vez mais valorizada", diz a consultora, destacando a abertura de novas empresas e o fluxo maior de pessoas. Embora não tenha dados precisos, Walderes afirma que a valorização dos imóveis é uma realidade, levando os lojistas a até reclamarem do aumento no valor do aluguel. "Os empresários estão interessados, e os produtos estão melhores", diz.

As previsão é de que os próximos locais a serem revitalizados sejam as ruas Saldanha Marinho, João Negrão e Emiliano Perneta.

Casa Hauer

Entre os imóveis que ganharão novos ares está a Casa Hauer, cuja reforma busca trazer de volta aos curitibanos a possibilidade de apreciar um de seus marcos arquitetônicos. As obras começaram há dois meses e devem ficar prontas em 2014.

Construído em 1897, o edifício funcionou até meados de 1980 como uma loja de ferragens, tornando-se um dos pontos comerciais mais simbólicos da cidade.

Por desavenças familiares, o imóvel ficou muito tempo desocupado. Em 1998, um incêndio destruiu o prédio. Pendências judiciais entre família e seguradora postergaram a reforma da Casa Hauer, até que o imóvel foi posto em leilão federal e adquirido por um grupo que pretende utilizá-lo como prédio comercial multifuncional.

Os esforços de revitalização do Centro de Curitiba vêm gerando grande movimento na área conhecida como o "entorno do Paço" (Paço da Liberdade, antiga sede da prefeitura e atual centro cultural administrado pelo Sesc Paraná). Em um mesmo mês, a Rua São Francisco e a histórica Casa Hauer passam por reformas. Além disso, foi anunciada a liberação de recursos para a construção do Cine Passeio, no antigo Quartel de Curitiba, na Rua Riachuelo.

VÍDEO: veja algumas das obras de reforma

O ponto inicial do processo de resgate do Centro foi o programa Marco Zero, criado pela prefeitura em 2005. A intenção era intervir em pontos considerados "espaços-problema", como a Praça Tiradentes e a Rua Marechal Deodoro, que passaram por reformas. A obra mais marcante desse programa foi a revitalização da Rua Riachuelo, concluída em 2010, com a instalação de câmeras de segurança, nova iluminação e reformas de calçada e fachadas.

Segurança

Comerciantes da Ria­chuelo relatam que, depois da revitalização, houve sensível melhora nas vendas e nas condições de segurança da rua. Proprietária de uma loja de móveis, Cláudia Regina Reis já havia trabalhado na região há dez anos, mas depois das intervenções se sentiu encorajada a montar seu próprio negócio no local. "A mudança aqui foi completa, víamos pessoas sendo roubadas em plena luz do dia, direto. Agora atendemos gente de todas as classes", diz.

O comerciante Paulo Fonseca, que abriu há três meses uma loja de bijuterias na região, afirma que antes da revitalização jamais pensaria na empreitada. Fonseca observa que era costume as pessoas desviarem da rua quando iam do Shopping Mueller em direção ao Centro. Desde as mudanças, criou-se ali um corredor natural para o trânsito de compradores com maior poder aquisitivo. "A rua ficou mais romântica, virou um passeio", diz. Ele também aponta como positivo o fato de que sua loja na Riachuelo tem o maior porcentual de compras feitas com cartão de crédito entre todos os sete pontos que mantém na cidade. "É um pessoal que compra bem", afirma.

A sensação de segurança é respaldada pelos dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública: depois das reformas, notou-se uma curva descendente nos índices de crimes registrados na rua. Entre 2008, ano imediatamente anterior ao início da revitalização, e 2011, primeiro ano depois da conclusão das obras, houve diminuição de 17% nos furtos (de 46 para 38) e de 33% nos roubos (de 15 para 10).

Concorrência

Para o arquiteto do Ippuc Mauro Magnabosco, autor do projeto de revitalização do entorno do Paço, além das reformas, também contribui para a melhoria da região um sentimento de competitividade. "O comerciante vê que o lojista ao lado melhorou e também vai querer fazer reformas. É uma onda", diz.

A prefeitura também usa mecanismos fiscais para buscar a revitalização do Centro. Há a possibilidade de descontos no IPTU para quem se adequar a parâmetros estabelecidos pelo poder público. No lado oposto, está previsto aumento progressivo do imposto para quem mantiver imóveis desocupados na região. Magnabosco afirma, no entanto, que apenas dois empresários deram entrada no procedimento para pedir redução de IPTU. "Acho que muitos têm medo das vistorias", diz.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "//connect.facebook.net/pt_BR/all.js#appId=254792324559375&xfbml=1"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));

Vida e Cidadania | 1:24

Revitalização começou com a Rua Riachuelo, mas outras vias e prédios também passarão por intervenções. Em um mesmo mês, a Rua São Francisco e a histórica Casa Hauer são renovadas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.