Alagamento interditou a Avenida Cristiano Machado, em Belo Horizonte, que dá acesso ao aeroporto de Confins | Eugênio Moraes/Hoje em Dia
Alagamento interditou a Avenida Cristiano Machado, em Belo Horizonte, que dá acesso ao aeroporto de Confins| Foto: Eugênio Moraes/Hoje em Dia

Nove horas de chuva durante a madrugada e o início da manhã de ontem causaram uma morte e alagamentos em Belo Horizonte e na região metropolitana da capital mineira. Ruas e avenidas foram tomadas pela água, várias pessoas ficaram ilhadas em diferentes pontos da cidade e uma erosão que fez parte da pista ceder levou o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) a interditar a BR-381, na altura de Ravena, na saída para o Espírito Santo.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o entregador de gás Edgard Bispo dos Santos, de 36 anos, morreu ainda de madrugada no bairro Ouro Minas, na região nordeste da capital mineira. Moradores contaram aos bombeiros que ele chegou a pedir que os vizinhos deixassem as casas por causa do aumento do nível do Córrego do Onça, que passa pelo local. Mas teria voltado ao seu barracão para buscar animais domésticos e foi arrastado pela correnteza. Perto dali, no bairro Ouro Preto, uma casa desabou e deixou três pessoas feridas, incluindo uma criança de 8 anos, que ficou soterrada por cerca de duas horas até ser resgatada.

Já a Avenida Cristiano Machado (Linha Verde), que dá acesso ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana de BH, também foi tomada pela água. O trecho entre os bairros São Gabriel e Dona Clara ficou totalmente interditado e começou a ser parcialmente liberado no fim da manhã. Um homem se refugiou em uma árvore na avenida e teve de ser içado pelo helicóptero da Polícia Militar. Já na Avenida Sebastião de Brito, no bairro Dona Clara, um ônibus ficou ilhado no fim da madrugada e os passageiros tiveram de subir no teto do veículo para se proteger. Eles foram resgatados pelos bombeiros no início da manhã, pela água.

Além da capital mineira, municípios como Sabará, Betim e Santa Luzia também tiveram problemas. De acordo com os bombeiros, foram registradas 42 quedas de árvores, 22 quedas de barrancos e mais de 70 pontos de inundação por causa do temporal. Segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), a Grande BH foi atingida por 123 milímetros de chuva, cerca de 50% do esperado para todo o mês de novembro. A previsão é de que a região metropolitana de Belo Horizonte ainda tenha chuvas fortes até o fim da semana.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]