i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Entrelinhas

Festa da cachorrada

  • Porentrelinhas@gazetadopovo.com.br
  • 24/09/2008 21:03

Neste domingo, das 10 às 18 horas, no Parcão atrás do Museu do Olho, as várias ONGs que trabalham na proteção aos animais abandonados de Curitiba e região participam de uma grande feira. Barracas serão montadas para venda de artigos para cães e gatos, e a participação da comunidade será fundamental para que essas instituições possa adquirir produtos e equipamentos necessários para manter centenas de animais recolhidos. Quem quiser doar rações ou medicamentos certamente receberá latidos e miados de agradecimento.

Usina subterrânea

Primeira usina subterrânea não foi a hidrelétrica construída no Equador pela empreiteira Odebrecht, alvo de mais uma barretada populista do governo daquele país: a primeira, pelo menos na América do Sul, foi a Usina Parigot de Souza, concluída nos anos 70 no Paraná, sob inspiração do saudoso engenheiro e homem público. Ela aproveitou o desnível da Serra do Mar para canalizar as águas do Rio Capivari até o litoral, gerando desde então milhões de quilovates de energia, de forma segura e econômica.

Boas maneiras

Alguns paramédicos do Siate, órgão que atende emergências em Curitiba, precisa completar seu treinamento, desta vez no capítulo de boas maneiras. Um médico da capital, chefe de um serviço público, chegou antes a um atropelamento e estava prestando o primeiro atendimento ao acidentado quando foi rudemente afastado por um sargento, com palavras grosseiras. Ato que desmerece o conceito que inspirou o Siate.

Selton Melo

Até mesmo os fãs de Selton Melo devem ficar irritados com a gravação que o Banco Santander toca para quem telefona em busca de algum serviço da instituição. Depois de ouvir a gravação pela terceira vez – e olha que ela não é muito rápida –, uma correntista de Curitiba resolveu desligar para tentar de novo. Mas o ator "atendeu" novamente, falando das vantagens de ser cliente do banco, etc. e etc. Só para ver até onde ia a "paciência" de Selton, a cliente ficou mais de 10 minutos esperando, e nada.

Nome da mãe

Foi preciso ligar para São Paulo, onde contou todo seu caso para uma "voz" que a atendeu. Com 82 anos, a correntista apenas queria que o banco cumprisse a promessa de enviar um talonário de cheque para sua casa. Ocorre que o atendente pediu CPF, RG, número da conta e tudo o mais. Quando exigiu o nome da mãe, a correntista decidiu "engrossar". Não daria o nome da mãe. O educadíssimo atendente, então, disse que sem a mãe não dava e bateu o telefone na cara da cliente de 82 anos.

Momentos da vida

Para cada momento da vida, alegre ou triste, existe uma palavra de incentivo, uma manifestação de regozijo, um conselho, uma admoestação... Enfim, nada do que passamos é tão novo que alguém já não tenha passado. Por que, então, não aproveitar a experiência dos outros, a sabedoria que emana da palavra divina ou até momentos de humor e irreverência que podem mudar nossa vida. O livro Gotículas de Felicidade – para nutrir vidas, de Marly Rosa, pode ser uma fonte importante dessa nova situação. Informações: marlygotasdefelicidade@yahoo.com.br.

* * * * * *

Homenagem aos 115 anos do início da Revolução Federalista, que chegou ao Paraná em 1894, será encerrada hoje na Cinemateca de Curitiba (Carlos de Carvalho, 1.174) a XIV Semana de História do Paraná, promovida pela Academia Paranaense de Letras e pela Fundação Cultural de Curitiba. O ponto alto será a projeção do filme O preço da paz, inspirado no livro do mesmo nome, do historiador paranaense Túlio Vargas.

*** Hoje, às 19h30, na Câmara Municipal de Piraquara, será lançado o livro Icatuporangatuba – Subsídios para a história de Piraquara. O autor é José Carlos Veiga Lopes, membro do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná.

*** "O que somos é o presente de Deus para nós. O que nos tornamos é nosso presente para Deus." (Eleanor Powell)

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.