Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

A tarde desta terça-feira (13) foi especial para 193 crianças atendidas pela Escola Municipal e Centro de Educação Infantil dos Expedicionários, no Novo Mundo, em Curitiba. Os alunos, com idade entre 5 e 11 anos, venceram a ansiedade e a espera pelos presentes que pediram em cartinhas para o Papai Noel dos Correios. Embalada por canções natalinas, a entrega contou com a presença do bom velhinho e uma celebração, no refeitório do CEI, que emocionou até os adultos. Aos poucos, todas as caixas e pacotes presentes foram abertos e os pequenos começaram a brincar por ali mesmo.

A campanha ocorre há 20 anos e consiste no apadrinhamento de cartinhas disponibilizadas em agências dos Correios. Para garantir a segurança das crianças, os presentes são repassados a elas na própria escola em que estudam. Os voluntários levam os pacotes até os Correios, que faz a entrega para os pequenos.

A estudante Júlia Cristina Gonçalves, de 8 anos, era só alegria pelo desejo realizado neste Natal. “Era meu sonho ganhar patins”, contou à reportagem. Ela estava cheia de planos sobre como aproveitar o brinquedo nas férias. “Vou chegar em casa e já vou andar no corredor. Também vou andar de patins no ano-novo”, disse.

Haitiano, Dawesley Aristilde, 6 anos, pediu um relógio de verdade em que pudesse ver as horas. Quem apadrinhou a cartinha do menino mandou um acessório verde e digital. “Gostei bastante”, comentou a criança. A colega Kimberly de Oliveira, de 9 anos, pediu materiais escolares e afirmou ter recebido bem mais do que o esperado. No pacote, havia uma mochila, cadernos com capa dura e um estojo recheado de lápis de cores e canetinhas coloridas. “Queria dizer obrigada para quem mandou”.

No quarto ano do ensino fundamental, Janaina dos Santos, 9 anos, não conteve as lágrimas ao abrir a caixa que o padrinho ou madrinha dos Correios lhe enviou. A menina havia pedido de Natal materiais escolares para o ano letivo de 2017 e uma cesta básica. Os alimentos vão ser compartilhados com os pais, que passam por uma situação financeira difícil, e os dois irmãos – um de 20 dias e um de 3 anos. “Estou muito alegre”, definiu.

Daniel Castellano/Gazeta do Povo

A professora Priscila Markir Barth, de 34 anos, se emocionou ao ver o sorriso das crianças, em especial de Janaína. Ela contou que os professores e outros profissionais da educação acompanham os alunos o ano todo e sabem das reais necessidades da turma. “A Janaína pensou em toda a família. Nós os conhecemos, sabemos a realidade deles. Fiquei muito feliz pela escola ter essa oportunidade de participar do projeto. É uma boa forma de encerrar nosso ano”, destacou.

Segundo Alessandra Ricardo, uma das coordenadoras do Papai Noel dos Correios, a campanha recebeu – somente em Curitiba – 12 mil cartinhas de crianças de regiões cujo índice de desenvolvimento humano (IDH) é menor. No Paraná todo, foram 27 mil. “Em todo o estado, tivemos 95% de apadrinhamento. Em Curitiba, 100%. Estamos muito felizes porque começamos a campanha com 10 mil cartas”, avalia Alessandra, ao lembrar que a ação só foi possível graças à adesão da comunidade. “Os Correios fazem a logística, mas só se faz isso acontecer pela solidariedade das pessoas, dos parceiros”, sustenta.

No caso de cartas que foram apadrinhadas, mas que os padrinhos não fizeram a entrega dos presentes até a data estipulada pelos Correios, a empresa está tentando fazer um remanejamento por meio de doações de outros voluntários.

Em algumas cidades do interior, a campanha segue até o dia 16 de dezembro. As datas para cada localidade podem ser consultadas pela internet, no endereço https://blog.correios.com.br/papainoeldoscorreios.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]