i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Partido

DEM vai pedir seis cargos de parlamentares infiéis

  • Por
  • 06/11/2007 19:51

Brasília – O DEM vai ingressar até amanhã no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com recursos para reconquistar os mandatos de parlamentares que deixaram a legenda nos últimos meses. O partido vai brigar por vagas de três deputados e três senadores que saíram do DEM – mesmo ciente de que os senadores deixaram a legenda antes do prazo fixado pelo tribunal para que os partidos tenham de volta mandatos de infiéis.

A briga será pelos mandatos dos senadores Romeu Tuma (PTB-SP), Édison Lobão (PMDB-MA) e César Borges (PR-BA). Todos deixaram a legenda antes do dia 16 de outubro – quando entrou a vigor a resolução do TSE que determina que os mandatos pertencem aos partidos e não aos eleitos para cargos majoritários (senadores, presidente da República, governadores e prefeitos).

Apesar de os senadores não terem descumprido a norma legal, o estatuto do DEM prevê a perda de mandato aos parlamentares que deixarem a legenda. "A decisão foi tomada em conjunto numa reunião da Executiva Nacional do partido em que ficou definido que vamos recorrer para ter de volta os mandatos", disse o presidente nacional do DEM, Rodrigo Maia (RJ).

Na Câmara, o DEM vai tentar reconquistar o mandato do deputado Walter Brito Neto (PRB-PB) – suplente do deputado Ronaldo Cunha Lima (PSDB-PB), que renunciou ao cargo na semana passada. O deputado assumiu a suplência pelo DEM, mas deixou o partido em outubro deste ano. Como o TSE fixou o dia 27 de março como início da fidelidade partidária para deputados federais, estaduais e vereadores, o partido vai brigar para reconquistar a vaga do suplente.

Além do mandato de Neto, o partido também vai cobrar na Justiça s vagas deixadas pelos deputados Gervásio Silva (PSDB-SC) e Jusmari Oliveira (PR-BA). Os dois deputados deixaram o DEM depois do dia 27 de março deste ano, o que abre brecha legal para que o partido reconquiste as duas vagas na Câmara.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.