i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
opinião

Descriminalizar não é fazer apologia às drogas

  • PorDiogo Busse, advogado, professor universitário e diretor de política sobre drogas da prefeitura de Curitiba.
  • 19/08/2015 03:00

Só haverá melhora na forma como enfrentamos os problemas relacionados ao uso de drogas quando compreendermos que propostas de mudanças não são sinônimos de “apologia” ou “liberação”. Uma coisa são os efeitos que as drogas podem causar no organismo. É inegável que uma pessoa pode ter prejuízos decorrentes da sua relação com alguma substância, seja ela lícita ou ilícita. Outra coisa, bem diferente, é refletir sobre como estamos lidando com estes prejuízos, enquanto sociedade. Como formulamos a política de drogas, ou seja, como o Estado regula a relação dos seres humanos com substâncias que causam alteração no organismo (relação que, diga-se de passagem, sempre existiu, desde que o ser humano está na Terra!)

Fazendo essa reflexão perceberemos que a política de drogas atual causa prejuízos ainda maiores do que o próprio uso de drogas em si – que é muito mais uma questão de saúde, de políticas públicas de educação, informação honesta, cultura, esporte, rede de atenção e recuperação a usuários e apoio a familiares.

A descriminalização do usuário de drogas nada tem a ver com “liberação”, que, aliás, é um termo que tem sido utilizado de uma forma bastante equivocada.

Diversos estudos mostram que todos os países que descriminalizaram o uso de drogas não verificaram aumento no consumo. O medo de que pessoas passarão a usar mais drogas porque isso deixou de ser um crime é infundado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.