i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Visita ao brasil

Festa popular recepciona Francisco nas ruas do Rio

Pontífice esbanja simpatia em sua chegada para a Jornada Mundial da Juventude. Quinze mil pessoas recepcionam o líder católico

  • PorDenise Drechsel, enviada especial, com agências
  • 22/07/2013 21:04
Brasileiros e estrangeiros deram um abraço caloroso ao novo papa nas ruas do Rio de Janeiro | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Brasileiros e estrangeiros deram um abraço caloroso ao novo papa nas ruas do Rio de Janeiro| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Escolhido

Bebê de 7 meses recebe beijo de Francisco

Aos 7 meses de vida, Miguel viveu um momento de estrelato. No meio da multidão que acompanhava o cortejo do papa Francisco pelo centro do Rio, ele foi escolhido e recebeu um beijo do pontífice. Minutos depois, o bebê foi cercado por curiosos e fiéis que se revezavam em fotografar e carregar a criança. "Foi emocionante. Meu marido Rodrigo ergueu o Miguel e as pessoas pararam o papa para que ele pudesse beijá-lo", afirmou a mãe de Miguel, Juliana Braga Coelho, de 28 anos. Paulista de Matão (SP), ela mora com o marido numa fazenda em São Sebastião do Pontal (MG), onde ele trabalha como encarregado. "O padre da nossa paróquia sonhou que o papa iria beijar o Miguel", afirmou Juliana, que era só sorrisos. O bebê, de camiseta e bermuda, foi erguido ao papa por um dos seguranças que faziam a escolta a pé. Francisco beijou Miguel e sorriu para os pais. (AE)

Curtas

Viagem: Duas horas depois de decolar de Roma, o papa saiu da primeira classe e foi encontrar-se com os 69 jornalistas escolhidos para fazer parte da delegação, que estavam ao fundo do avião. De forma paciente, conversou com cada um e alternou piadas, gargalhadas e mensagens, tanto religiosas como sociais.

"Deus é brasileiro": Mas foi com os brasileiros que seu humor foi explícito, chegando a levantar uma bandeira do Brasil (foto 2) dada a ele por um dos repórteres. E brincou: "Os argentinos dizem que tem um papa argentino. E vocês o que têm?", questionou, ironicamente. Antes que uma resposta fosse dada, emendou: "Vocês têm Deus", caindo na gargalhada. "Deus é brasileiro!", exclamou.

Gastos: O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, defendeu os gastos públicos com a recepção do papa Francisco. A declaração foi dada na chegada ao Palácio Guanabara, onde o papa foi recepcionado. Para o presidente do STF, o valor estimado do evento no palácio, em torno de R$ 850 mil, não é alto. "Nós estamos recebendo um chefe de Estado. O aparato de segurança deve ser condizente com a estatura desta pessoa", disse.

Trânsito: Em sua chegada ao Brasil, o papa deparou-se com problemas típicos do Rio: falhas de planejamento, segurança confusa e até um tumultuado engarrafamento, onde o veículo que o levava do Galeão ao Centro ficou perigosamente retido e cercado pela população por longos minutos (foto 3). Fiéis que queriam vê-lo invadiram a pista central da Avenida Presidente Vargas. E o veículo que levava o pontífice, para desespero dos guarda-costas, ficou prensado junto a uma fila de ônibus.

  • A venezuelana Andrea de Freitas (de óculos) se emociona ao ver Francisco

A primeira viagem internacional do papa Francisco começou com uma festa popular, muita próxima dos fiéis, bem ao estilo pregado pelo novo papado. O pontífice foi recebido com festa nas ruas do Rio de Janeiro, logo após o avião que o trouxe de Roma pousar no Aeroporto Internacional do Galeão. Francisco foi recebido ainda na pista pela presidente Dilma Rousseff e uma comitiva de ministros de Estado e autoridades do Rio de Janeiro. Do aeroporto, seguiu em um carro simples pelas ruas do Rio de Janeiro. Com o vidro do carro aberto, Francisco se deixou ser visto e muitos que conseguiram vencer o bloqueio dos seguranças chegaram perto o suficiente para tocá-lo. Sorridente, o papa acenou aos fiéis.

Já na Catedral Metro­po­litana, ele subiu no papamóvel. Ficou o tempo todo de pé e cumprimentou as milhares de pessoas que se aglomeravam para vê-lo. Acostumados com o estilo do papa, os seguranças que o acompanham atendiam quando ele queria que o carro reduzisse a velocidade para que pudesse chegar mais perto das pessoas.

Euforia

Uma multidão estimada pela PM em 15 mil pessoas recebeu o papa com empolgação no centro da cidade. O público ansioso por vê-lo incluía tanto os peregrinos estrangeiros e voluntários da Jornada Mundial da Juventude quanto os cariocas que trabalham no centro – os prédios ao longo do trajeto tinham gente nas janelas, muitas fazendo chuva de papel picado à medida que o comboio passava.

Todo espaço que pudesse ser escalado para dar uma melhor visão do papa foi usado – árvores, postes, andaimes, as escadarias do Theatro Municipal e da Biblioteca Nacional. Assistindo à tevê por celulares, as pessoas acompanhavam a trajetória de Francisco desde o pouso do avião – "Ou ou ou, o papa já chegou", gritaram após o desembarque.

Peregrinos do Chile, Ve­nezuela, Argentina e outros países de língua espanhola, agitavam bandeiras de suas nações e entoavam cantos em referência a seus países e à visita papal. "Estava muito cansada, mas quando vi o papa, tão próximo, humilde, perto das pessoas, saudando famílias, aproximando-se das crianças, parece que tudo que estava errado na minha vida passou, realmente estou impressionada com a humildade desse papa", disse a venezuelana Andrea de Freitas, estudante de Pedagogia de 22 anos.

Várias pessoas aproximaram crianças do papamóvel e não se intimidaram com a ação dos seguranças que estavam, visivelmente, preocupados com a exposição do pontífice. Francisco, no entanto, não se alterou. A carioca Rhavyne Santana, de 22 anos, não pode conter as lágrimas ao ver a tranquilidade do papa ao passar pela multidão. "Não é fácil explicar o que se sente ao ver o papa; creio que é uma esperança de melhora, de que a fé em Cristo vai longe".

ComportamentoGestos do papa no Brasil reforçam opção pela humildade

Agência Estado

Está na boca dos teólogos e na percepção dos fiéis: Francisco é um homem que fala por gestos. Dito isso, seu comportamento no primeiro dia de visita ao Brasil só reafirma o quão franciscano esse jesuíta tem se mostrado. Em sua partida do aeroporto, em Roma, não delegou sua valise a assessor algum. Quando subiu a escadaria do avião, a mala preta que levava na mão esquerda contrastava com sua batina branca.

Durante o voo, Francisco saiu de seu assento na primeira classe e foi conversar com os jornalistas que estavam acomodados na classe econômica. Lá, conversou de forma paciente com cada um dos repórteres antes de voltar a seu lugar.

Ao chegar ao Rio de Janeiro, no meio da tarde, embarcou em um Fiat Idea – cujo preço varia de R$ 43 mil a R$ 52 mil –, um carro simples e sem blindagem. Pouco tempo após o início do trajeto do Galeão até o centro da cidade, a multidão conseguiu cercar o carro.

Os seguranças de terno preto que corriam ao lado do veículo não conseguiram deter os braços dos fiéis que se esticavam na esperança de tocar o pontífice. A cena – de dar desespero em quem assistia pela tevê, por causa da situação vulnerável em que o papa estava – , não o apavorou. Durante todo o itinerário, ele manteve o vidro completamente aberto. Tão aberto que uma mãe conseguiu fazer o filho chegar às mãos de Francisco, que não hesitou em puxá-lo para o carro e beijá-lo, antes de devolvê-lo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.