i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Repercussão

Para religiosos, discurso não indica mudanças

  • PorAgência O Globo
  • 30/07/2013 00:00

Apesar de movimentos sociais e entidades de defesa dos direitos LGBT terem visto as declarações do papa Francisco como um passo importante no combate à discriminação dos homossexuais, religiosos ressaltam que as palavras do pontífice não indicam mudanças na Igreja. "Não houve nada de novidade no que diz respeito à parte doutrinal. As pessoas já sabem o que pensa a Igreja. Devemos condenar o pecado, mas não o pecador", disse o padre Jesus Hortal, ex-reitor da PUC-Rio. "Não aceitamos essa conduta, está errada. Mas quem julga é Deus. Sem dúvida, porém, respeitamos essas pessoas."

Posição parecida tem o teólogo Paulo Bosco, da Universidade Católica de Brasília. A novidade, diz ele, é um papa falando diretamente sobre o assunto. "Ele fala diretamente desse acolhimento ao homossexual. A Igreja não é contra alguém, mas a prática não é virtuosa. Temos um papa falando isso de forma direta: vamos amar aquele que está numa condição de segregado, tratado de maneira discriminatória."

Para o coordenador do programa estadual Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento, as declarações do papa dão uma contribuição importante ao debate sobre o ódio e o preconceito contra os homossexuais. "Ele manda uma mensagem para seus fiéis, de que os dogmas da Igreja não podem ser usados para justificar a violência e a discriminação."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.