Representantes de entidades estudantis iniciaram nesta quarta-feira (10) uma série de protestos em Brasília contra os cortes no orçamento da Educação.

O movimento organizado pela UNE (União Nacional dos Estudantes) e pela UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) também irá acompanhar a votação do texto que prevê a redução da maioridade de 18 anos para 16 para todos os tipos de crime, que será analisada em uma comissão da Câmara dos Deputados.

As manifestações começaram com a ocupação da calçada em frente do Ministério da Fazenda, onde foram armadas cerca de 50 barracas nesta madrugada. O objetivo é conseguir uma audiência com o ministro Joaquim Levy (Fazenda).

Foram colocados na entrada do prédio uma série de cartazes, com mensagens como “#Levyvaicair” e “Pátria Educadora para valer”. Os estudantes também foram ao Congresso para tentar falar com o ministro Renato Janine Ribeiro (Educação), que participa de audiência pública na Câmara.

Já estão em Brasília cerca de 120 representantes da UNE, da UBES e de outras entidades estudantis. A maioria participou do congresso para eleição da nova presidente da UNE em Goiânia (GO) no último fim de semana. Ainda são esperados mais estudantes vindos de outros Estados.

No dia 19 de maio, o Ministério da Fazenda foi invadido por integrantes da Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar, um braço da CUT (Central Única dos Trabalhadores), que depredaram o local. Eles foram recebidos por Levy. Representantes dos estudantes afirmaram que não irão invadir o prédio público.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]