i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Burocracia

Família de casal morto no México sofre para trazer corpo

José Brugnaro Neto, de 34 anos, e Renata Alves Costa, de 36, morreram enquanto faziam um mergulho turístico monitorado na caverna de Chac Mol, em Playa del Carmen, na região da Riviera Maya, no México

  • PorAgência Estado
  • 01/05/2012 17:59

Familiares dos turistas brasileiros que morreram afogados em uma caverna no México há cerca de duas semanas dizem enfrentar dificuldades para trazer os corpos de volta ao País. José Brugnaro Neto, de 34 anos, e Renata Alves Costa, de 36, morreram enquanto faziam um mergulho turístico monitorado na caverna de Chac Mol, em Playa del Carmen, na região da Riviera Maya, no México.

De acordo com José Roque Brugnaro, pai de José Brugnaro Neto, há doze dias os parentes das vítimas têm sofrido com a burocracia envolvida na negociação para trazer os corpos. "Já enviamos diversos documentos, procurações, fizemos contato com os consulados, acertamos valores com o seguro e, ainda assim, não tivemos uma resposta definitiva sobre quando poderemos trazer nossos filhos de volta", diz.

As famílias agora solicitam ajuda das autoridades brasileiras. "Queremos pedir auxílio do governo brasileiro para interferir nesse trâmite e nos ajudar", afirma José Roque Brugnaro. "Notamos que há boa vontade dos órgãos, mas muitas complicações de país para país. Precisamos de auxílio político", completa.

Segundo a polícia mexicana, o casal de brasileiros e seu guia, o espanhol Ismael García Manzanares, de 34 anos, provavelmente se perderam e ficaram sem ar. Os corpos só foram encontrados após sete horas de buscas e a Procuradoria de Justiça do Estado já iniciou as investigações.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.