i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Curitiba

Homem é morto dentro de cartório no Cristo Rei

De acordo com a Polícia Militar, assassino atirou sete vezes contra a vítima e fugiu. Suspeita é de crime passional

  • PorRafael Neves, especial para a Gazeta do Povo
  • 28/06/2013 13:01

Um homem foi assassinado em um cartório no bairro Cristo Rei, em Curitiba, na tarde desta sexta-feira (28). Segundo informações da Polícia Militar, Cléverson Teixeira Bonete, de 30 anos, foi executado com sete tiros - sendo quatro nas costas e três na cabeça - e morreu na hora. O assassino, ainda não identificado, segue foragido.

O homicídio ocorreu no Cartório Cajuru, na Avenida Presidente Affonso Camargo. O assassino fugiu de carro em direção ao Viaduto do Capanema. Nada foi levado do cartório. A suspeita inicial é de que o caso seja de crime passional, conforme informações do delegado Anderson Franco, da Delegacia de Homicídios.

"As informações que temos indicam que a vítima foi seguida por um homem assim que entrou no cartório. Lá dentro, iniciou-se uma discussão e houve os disparos. O assassino fugiu em um carro de cor preta, e provavelmente estava acompanhado por um cúmplice que dirigia", declarou Franco.

De acordo com o delegado, Cléverson já vinha sofrendo ameaças de morte e tinha abandonado o emprego há alguns dias. Nem ele nem o assassino eram funcionários do cartório.

A polícia está analisando imagens de câmeras de segurança do cartório e já tem uma ideia da fisionomia do suspeito, mas ainda não chegou ao nome dele.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.