Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

No último final de ano, 1.853 presos do regime semiaberto do estado do Paraná foram beneficiados pelo indulto normalmente concedido na época do ano a quem se enquadra nas regras definidas em decreto presidencial. Destes, 80 não retornaram às prisões até o prazo final de reapresentação, às 17h de segunda-feira (5). Os dados foram divulgados na tarde desta quarta-feira (7) pelo coronel Honório Bortolini, coordenador geral do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen).

Os evadidos equivalem a 4,3% dos beneficiados pelo decreto presidencial no estado, que neste ano foi mais flexível que nos anteriores, incluindo no indulto até presos condenados por tráfico de drogas desde que não possuíssem ligação com organizações criminosas. Segundo o coronel Bortolini, no ano anterior a evasão tinha sido de 8,3%.

No Paraná existem quatro unidades que possuem regime semiaberto: a Colônia Penal Agrícola, em Piraquara, região de Curitiba, o Centro de Regime Semiaberto Feminino de Curitiba, o Centro de Regime Semiaberto de Ponta Grossa, nos Campos Gerais, e o Centro de Regime Semiaberto de Guarapuava, Centro do Paraná. Destas, a Colônia Penal Agrícola concentrou a maior quantidade de presos beneficiados, 1447, e também a maior quantidade de evadidos, 73. Dos demais que não retornaram à prisão, três são da prisão feminina de Curitiba, três de Ponta Grossa e um de Guarapuava.

Os presos que não retornaram até o prazo estipulado poderão retornar à prisão, mas terão que ter uma justificativa aceita pelo Poder Judiciário para que não percam o direito ao regime semiaberto e à progressão de pena. Quem não se reapresentar será considerado como foragido da justiça.

Presos beneficiados pelo indulto se envolvem em crimes

Nem sempre a saída temporária no final do ano acaba cumprindo a função de ajudar na ressocialização do preso. Alguns acabam se envolvendo em crimes como autores ou vítimas.

No dia 2 de janeiro, Eduardo Luis Moraes Lavandoski, 28 anos, foi preso por assaltar o caixa de uma loja de tapetes no bairro do Xaxim, em Curitiba. Ele havia sido beneficiado pelo indulto e acabou, com a prisão, voltando mais cedo para a cadeia.

No mesmo dia, no mesmo bairro, o Xaxim, Paulo Sérgio Timóteo Duque, 33 anos, que cumpria pena por roubo, foi assassinado com quatro tiros no portão de casa. A Polícia Civil suspeita que o crime tenha sido motivado por desavenças com algum outro preso.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]