i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Maringá

Pressão de moradores deve provocar mudanças no Contorno Norte

Reivindicações de moradores que pedem alteração no Contorno Norte podem ser atendidas

  • PorMarcos Paulo de Maria
  • 08/09/2009 14:15

A Prefeitura de Maringá se comprometeu em apresentar um projeto, no prazo de 30 dias, para atender às reivindicações dos moradores do Conjunto Itatiaia e Jardim Atlanta que pedem mudanças nas obras do Contorno Norte, em Maringá. A Associação de Moradores reivindica alteração no sentido das vias marginais ao Contorno, passarela para pedestres, asfalto e construção de um viaduto na Avenida Osires Guimarães, principal via de acesso aos bairros.

O anúncio de uma possível alteração no projeto foi feito depois de uma reunião realizada no fim de semana, entre a prefeitura, a Urbanização de Maringá (Urbamar S/A), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), a Associação de Moradores e vereadores.

De acordo com o vereador Humberto Henrique (PT), centenas de pessoas se reuniram para analisar mapas e informações técnicas apresentadas pelo Dnit. A população quer um viaduto na Avenida Osires Guimarães, como era previsto inicialmente, mas a proposta apresentada contempla a construção de uma passagem do tipo trincheira, por baixo da rodovia, permitindo o trânsito veículos em mão única, no sentido bairro-centro.

Outra reivindicação é tornar viável a utilização do viaduto já em construção, distante 500 metros da Avenida Osires Guimarães, que de acordo com um dos líderes do movimento dos moradores, Clóvis Trentin "não liga nada a lugar nenhum". Para que o viaduto seja usado seria necessário a implementação de asfalto nas ruas próximas e mudança do tráfego para mão dupla nas vias marginais do Contorno Norte.

A construção da trincheira, do asfalto e a instalação das sinalizações dependeriam de recursos vindos de Brasília, já que a obra é federal. O presidente da Urbamar, Fernando Maia Camargo que estava na capital federal, nesta terça-feira (8), informou que as mudanças devem sair do papel. "Vamos apresentar o projeto ao governo federal para que os moradores sejam atendidos", disse Camargo.

Segundo Clóvis Trentin, as alterações no Contorno vão minimizar os transtornos e facilitar o acesso aos serviços públicos da população dos bairros.

No final de agosto, depois de muitos protestos a prefeitura afirmou que iria disponibilizar 11 passarelas e mais um viaduto para atender aos pedidos de moradores de Maringá e Sarandi. Em pelo menos cinco bairros houve manifestações pedindo mudanças no projeto.

Contorno Norte

A via, que tem 17,2 km de extensão, vai ligar o trevo na divisa entre Maringá e Sarandi – localizado no início da Avenida Sincler Sambatti (Contorno Sul) – ao trevo da Coca-Cola, localizado na zona oeste da cidade, onde está o entroncamento com a Avenida Sabiá.

A rodovia pretende aliviar o tráfego pesado das avenidas Morangueira e Colombo, as duas principais vias de acesso à cidade. As obras foram iniciadas em janeiro deste ano e devem terminar em agosto de 2010, conforme estimativa da prefeitura.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.