Em 2012, Maringá registrou 65 homicídios, número 20,3% maior do que o do ano anterior, segundo balanço da Delegacia de Homicídios. Além do aumento, um dado que chama a atenção é o alto índice de mortes por grupo de 100 mil habitantes. Em 2011, o município registrou 17,7 assassinatos por porção, quase o dobro do preconizado pela Organização das Nações Unidas (ONU): dez mortes.

Levando em consideração esses números, a violência em Maringá supera, estatisticamente, os índices de grandes centros urbanos, como Rio de Janeiro e São Paulo. O Rio fechou 2012 com índice de 17 mortes para cada 100 mil habitantes. Em São Paulo foi de 10,3.

Curitiba e Londrina também encerraram o ano passado com índice maior que o do Rio e de São Paulo. A capital paranaense teve 33 assassinatos para cada 100 mil habitantes e o município do Norte do Paraná, 22,2.

Das 65 pessoas assassinadas em Maringá, a maioria foi vítima de arma de fogo. De acordo com a Polícia Civil, 80% são homens com idades entre 17 e 25 anos, com antecedentes criminais e envolvimento com tráfico de drogas. O Jardim Alvorada é apontado como a região com a maior incidência de assassinatos no Município.

Ainda segundo a polícia, a taxa de crimes passionais no ano passado foi considerada baixa em Maringá, inferior a 5% do total de casos.

O responsável pela Delegacia de Homicídios de Maringá, Alexandre Bonzato, diz que a principal meta é investigar e prender rapidamente os assassinos. "Essa é a única forma de a Polícia Civil combater o crime. É preciso prender o bandido para que ele não volte a cometer novos delitos."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]