i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Greve

Mesmo em greve, PF deve trabalhar com efetivo completo nas eleições

Decisão foi oficializada em assembleia nesta quinta-feira (6); reunião debateu ainda a realização de atos nesta sexta durante desfiles da Independência

  • PorAntonio Senkovski e Fernanda Fraga, especial para a Gazeta do Povo
  • 06/09/2012 10:21

A Polícia Federal (PF) garante que mesmo em greve - que completa um mês nesta sexta (7) - vai trabalhar normalmente durante as eleições deste ano. O Sindicato dos Policiais Federais do Paraná (Sinpef-PR) relata que a decisão foi oficializada em assembleia virtual entre entidades representativas da categoria em todo o Brasil, realizada nesta quinta-feira (6).

Com isso, os trabalhos de vigilância de urnas, segurança de juízes, apuração de delitos relativos ao pleito e cumprimento de solicitações feitas por tribunais eleitorais devem ser executadas sem restrições no 1º e no 2º turno, que ocorrem respectivamente nos dias 7 e 28 de outubro. "Nós retornaremos com o quadro completo para trabalhar durante o processo eleitoral em prol da democracia do Brasil, já nos colocamos à disposição do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)", diz o presidente do Sinpef-PR, Fernando Vicentine.

Manifestações de 7 de setembro

Durante a conversa, Vicentine disse que os policiais discutiram a realização de atos nesta sexta-feira (7), dia em que se comemora a Independência do Brasil. Segundo ele, serão feitas manifestações em vários pontos do país. No Paraná, a cidade de Foz do Iguaçu terá aglomeração de agentes da PF pela manhã, assim como em Brasília, que deve receber um protesto durante o tradicional desfile militar.

O dirigente da entidade representativa dos policiais no Paraná relata que a cidade de Foz do Iguaçu foi escolhida como palco da manifestação porque é o local no qual há a maior pressão pelo retorno ao trabalho. "Há ameaças do Ministério da Justiça de que vão cortar o ponto, abrir processos administrativos, mas não vamos parar a greve por causa disso."

Pela assessoria de imprensa, o Ministério da Justiça afirma que respeita o direito à greve, mas não tolera abusos nem desrespeito à lei. "Evidente que paralisações de agentes públicos sempre atrapalham, especialmente em um órgão tão importante para o país como é a Policia Federal. O que eu posso dizer apenas é que a liberdade de manifestação existe, agora em casos de abusos e transgressões da lei, os responsáveis serão punidos", afirmou o ministro José Eduardo Cardozo em nota.

A greve

A greve da PF começou no último dia 7 de agosto, quando houve a aprovação, em assembleia da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) de uma paralisação por tempo indeterminado. Durante o mês de agosto, Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e as entidades representativas sentaram à mesa para diversas rodadas de negociação.

Outras categorias também estavam em greve, mas a maioria delas aceitou o reajuste proposto pelo governo de 15,8%, a serem divididos nos próximos três anos. A PF, no entanto, alega que a principal reivindicação da classe não é o aumento salarial, mas sim uma reestruturação na carreira. Outra bandeira defendida pelos sindicatos dos policiais federais é a recomposição do efetivo, que, segundo os grevistas, está defasado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.