i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
ambiente

Mineradora é multada em R$ 5 mi por lançar resíduos no rio Paraíba do Sul

    • SÃO PAULO
    • Folhapress
    • 16/02/2016 07:55

    A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) multou em R$ 5 milhões a mineradora Rolando Comércio de Areia por lançar resíduos de beneficiamento de areia no rio Paraíba do Sul, em Jacareí, no interior de São Paulo. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira (15).

    O rompimento de uma barragem da empresa com resíduos de mineração de areia ocorreu no dia 5 deste mês e provocou desabastecimento de água em São José dos Campos, no Vale do Paraíba.

    O deslocamento dos resíduos no rio fez a Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp) interromper a captação de água do Paraíba do Sul. O motivo foi a turbidez, considerada acima do aceitável. Não houve mortandade de peixes.

    O rio abastece 75% de São José dos Campos, que tem cerca de 700 mil habitantes. Com isso, caminhões-pipa foram usados para atender locais prioritários, como hospitais.

    O acidente ocorreu após a Rolando Comércio de Areia lançar resíduos da extração de areia numa lagoa da Meia Lua 1. O lançamento alterou a qualidade da água da lagoa, que ficou turva, e elevou seu nível, o que resultou no rompimento do talude. Não se sabe a quantidade de resíduo que vazou.

    Segundo a Cetesb, as duas empresas têm licença ambiental, mas não havia autorização para o lançamento de águas residuárias da Rolando na lagoa da Meia Lua 1.

    Rompimento de Barragem

    À época a Meia Lua 1 estava com as atividades paralisadas por estar em processo de renovação de sua licença, enquanto a outra mineradora estava totalmente regularizada, conforme a companhia.

    O episódio ocorreu três meses após o desastre ambiental do rio Doce, em Mariana (MG). O rompimento de uma barragem da Samarco causou 19 mortes e deixou um rastro de destruição que atingiu o rio e chegou ao litoral do Espírito Santo, a 600 km de distância.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.