i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
força-tarefa

Ministério do Trabalho resgata 32 imigrantes em condições análogas à escravidão em SP

Trabalhadores são bolivianos, que trabalhavam em duas oficinas têxteis. MPT também apontou tráfico internacional de pessoas

  • PorAgência O Globo
  • 22/03/2013 15:11

Uma força-tarefa formada por agentes dos ministérios do Trabalho e da Justiça e do Ministério Público do Trabalho (MPT) resgatou esta semana pelo menos 32 imigrantes, a maioria bolivianos, de duas oficinas têxteis na Grande São Paulo. Além de trabalhar em condições análogas à escravidão, o grupo é vítima, ainda, do tráfico internacional de pessoas, segundo o Ministério do Trabalho.

Uma das oficinas, de acordo com a Rádio CBN, fica no bairro do Belenzinho, na Zona Leste da capital paulista, e trabalha com peças de roupa das marcas Cori, Luigi Bertolli and Emme, cuja representante é a GEP Indústria e Comércio Ltda.

Do local foram resgatados 28 bolivianos que chegavam a trabalhar até 14 horas por dia e ganhavam cerca de R$ 400 por mês. Além disso, o imóvel tinha condições precárias e crianças no ambiente.

Os trabalhadores, segundo as investigações, chegaram ao Brasil após ouvirem o anúncio de trabalho em uma rádio boliviana. O valor da viagem era descontado pelos empregadores, após a chegada a São Paulo.

Em nota à imprensa, a GEP disse ter sido surpreendida e informou que o serviço de costura de peças de roupa é terceirizado. Os 28 trabalhadores devem ser indenizados pela empresa no valor de aproximadamente R$ 1 milhão, após assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre a empresa e o MPT.

A segunda oficina fica em Guarulhos, na Grande São Paulo, de onde foram resgatados três estrangeiros, dois bolivianos e um peruano. Nesse caso, a força-tarefa informou apenas, segundo a Rádio CBN, que o local costurava peças para confecções no bairro do Brás, região central de São Paulo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.