i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Telefone público

MP vai investigar o conserto de orelhões

  • PorVitor Geron
  • 09/09/2010 21:04

A Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor instaurou inquérito civil contra a operadora de telefonia Oi para apurar por que o conserto de telefones públicos em Curitiba demora tanto. Há relatos de consumidores de que pelo menos 70% dos orelhões não funcionam. Segundo o MP, há suspeitas de que a operadora estaria interessada em "prestar o serviço de forma precária mesmo, para ‘obrigar’ os consumidores a fazerem uso de telefone celular em detrimento dos orelhões".

O MP destaca que a Agência Nacional de Telecomunicações (Ana­­­­tel) determina que "as solicitações de reparo de telefone público poderão ser feitas diretamente à concessionária de telefonia. A Anatel exige que 98% delas sejam atendidas em até 8 horas e, em qualquer hipótese, esse prazo nunca poderá ultrapassar 24 horas". A Oi terá 15 dias para se manifestar oficialmente à Promotoria de Justiça.

Em junho deste ano, a Gazeta do Povo tentou solicitar o conserto de cinco orelhões estragados, mas nenhum foi arrumado. Na ocasião, 220 de 458 telefones testados em sete praças e três ruas com grande circulação de pessoas na capital estavam inutilizáveis. A Oi informou que iria reparar os aparelhos apontados, mas 209 continuavam quebrados uma semana depois. A assessoria de imprensa da Oi informou que a empresa ainda não foi notificada sobre o assunto e por isso não se manifestaria sobre o assunto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.