Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida e Cidadania
  3. Olha Curitiba aqui, Ó!

Capa

Olha Curitiba aqui, Ó!

Canal a cabo do GRPCom entra no ar na terça, com a missão de mostrar e refletir a capital

  • Luigi Poniwass
“Será quase uma antropofagia cultural: vamos valorizar as manifestações artísticas locais, e oferecer mais espaço para a discussão dos problemas e soluções de Curitiba.” João Belmonte, gerente-geral da ÓTV |
“Será quase uma antropofagia cultural: vamos valorizar as manifestações artísticas locais, e oferecer mais espaço para a discussão dos problemas e soluções de Curitiba.” João Belmonte, gerente-geral da ÓTV
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Olha Curitiba aqui, Ó!

A partir da próxima terça-feira, 19 de abril, você vai se ver na tevê. Você e todas as pessoas que nasceram na região de Curitiba ou escolheram a cidade para viver. Às 17 horas, começa a funcionar no canal 23 da Net Curitiba a ÓTV, o mais novo projeto do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCom). “É o bebê do GRPCom, um sonho de muito tempo do grupo, que representa uma movimentação extremamente enriquecedora para a comunidade de Curitiba”, resume o gerente-geral do canal, o gaúcho João Belmonte, oriundo da RBS. “Tecnicamente falando, é um canal de televisão como qualquer outro, mas com particularidades que o fazem bem diferente.”

A principal é o fato de ser uma emissora “de Curitiba para Curi­tiba”, nas palavras de Belmonte: “Vamos trabalhar o localismo, produzindo conteúdo para a pessoa que nasceu aqui ou escolheu a cidade para morar. É uma televisão para Curitiba, para os que curtem a cidade, sua qualidade de vida, estrutura, o clima...”, enumera. “Será quase uma antropofagia cultural: vamos valorizar as manifestações artísticas locais, e oferecer mais espaço para a discussão dos problemas e soluções de Curitiba.”

Ou seja, a ÓTV vai oferecer a possibilidade de o curitibano (natural ou adotivo) ter contato com a realidade – e a fantasia – da sua região, em programas que dizem respeito à cidade e seus habitantes, mas atraentes, com uma qualidade técnica e de conteúdo comparável à dos grandes canais da tevê por assinatura. “A nossa independência editorial é absoluta, não somos pautados por ninguém”, garante o gerente geral. “Esta é a maneira como vamos construir a nossa relação com a comunidade.”

Além de conquistar a simpatia e a audiência de quem vive na Região Metropolitana de Curitiba, a ÓTV pretende ser uma usina de talentos: “Queremos dar aos nossos profissionais a oportunidade de criar, inovar, galgar outros passos na carreira. Sejam eles da parte técnica, do jornalismo ou do casting”, revela o gerente. “Vamos criar essas pessoas, aproveitar a visão delas em conjunto com a visão da própria comunidade, para construir a televisão.”

É o caso da atriz e cantora Michelle Pucci, de 33 anos, contratada como editora do programa Noites Curitibanas. Formada em Jornalismo, com experiência na música, no teatro e na tevê, ela ficou sabendo do canal por intermédio de um amigo (Antônio Spina, da Spin Filmes, parceira da RPC TV nos “Casos e Causos”) e resolveu arriscar: “Mandei o meu material, fiz a entrevista e o RH me ligou direto. Só soube o que ia fazer quando me contrataram para ser a editora do programa”, conta.

Para ela, que já integrou a banda Nega Fulô e pertence à companhia cênica Vigor Mortis, do diretor Paulo Biscaia Filho, é uma experiência totalmente nova. “Tudo é novo. Eu faço a edição, apresento, gravo as cabeças e de vez em quando saio para alguma pauta. Mas dessa vez atuo bastante atrás das câmeras”, explica. “É totalmente diferente de tudo o que eu já fiz, um desafio enorme. Mas o astral é demais, a equipe é ótima, e está rolando uma troca muito legal: o time é como um quebra-cabeças, um completa o outro. Eu entrei sem saber editar, mas com uma agenda boa, muitos contatos e experiência na área artística, e pude compartilhar isso.”

Apesar de todo esse entrosamento, a tensão pré-estreia é grande: “Estou com frio na barriga desde o dia em que eu entrei. Quando eu vou fazer uma peça, dá um frio na barriga durante os primeiros 15 minutos, depois a gente relaxa. Agora, é o frio mais longo de todos os tempos”, compara.

É esse espírito irrequieto que move a equipe da ÓTV. “O povo é jovem, antenado, conectado, com muita vontade de fazer algo diferente. É um bando de malucos, tanto que de vez em quando o tio aqui precisa trazê-los de volta para a Terra”, resume João Bel­­monte.

Serviço: A programação da ÓTV vai ao diariamente no canal 23 da Net Curitiba, das 17 horas à meia-noite.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE