i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Investigação

PF coleta documentos em ação na Unifesp e Hospital São Paulo

  • PorAgência Estado
  • 19/09/2008 07:10

A Polícia Federal cumpriu na quarta-feira (18) mandado de busca e apreensão na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), no Hospital São Paulo e na Sociedade Paulista de Desenvolvimento da Medicina, organização social que administra o hospital. Três agentes coletaram documentos e computadores em ação que durou duas horas.

A operação foi apoiada em mandado judicial expedido pela 7ª Vara Federal de São Paulo a pedido da procuradora da República Adriana Scordamaglia. Ela investiga denúncias divulgadas pela Rede Globo que apontaram nomes de servidores da Unifesp, inclusive de aposentados e pessoas mortas, que aparecem indevidamente em lista do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) como funcionários remunerados também pelo Hospital São Paulo.

Com documentos e computadores em mãos, o Ministério Público Federal busca ainda esclarecer se há crime de estelionato e peculato, já que mudanças na listagem de funcionários foi realizada supostamente para gerar fraudes nos pagamentos do SUS e dos planos de saúde. O mandado pedia a colaboração da universidade para que as autoridades tivessem acesso a documentos em papel e eletrônicos da instituição. A instituição alega, porém, que os motivos da ação não foram especificados.

A PF não teria informado as razões para a busca e apreensão, portando apenas um mandado "genérico". A universidade considerou a ação "discreta", mas agora reclama acesso aos autos para "colaborar da melhor forma para esclarecimento dos fatos". Nenhum membro da Unifesp quis se pronunciar sobre a ação dos agentes, alegando falta de informações sobre o mandado. "Qualquer coisa que for falada é especulação", informou a Unifesp por meio de sua assessoria de imprensa. A instituição pretende ainda hoje pedir esclarecimentos à Justiça.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.