i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
ponta grossa

Polícia Ambiental investiga suspeita de poluição no Tibagi

Segundo moradores, água de córrego que deságua no Tibagi tem forte mau cheiro. Amostras foram enviadas para análise

  • PorAlyne Lemes, especial para Gazeta do Povo
  • 22/08/2013 17:27

A Polícia Ambiental de Ponta Grossa, nos Campos Gerais, e técnicos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) investigam pontos de poluição em um córrego que deságua no Rio Tibagi, nas proximidades do Aeroporto Santana. Moradores acusam a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) de despejar esgoto sem tratamento das águas do córrego. Amostras foram coletadas e o resultado deve sair em 10 dias. A Estação de Tratamento Santa Bárbara está sendo instalada próximo ao ponto fiscalizado.

Uma equipe da Polícia Ambiental e um técnico do IAP foram deslocados para investigar as denúncias. Segundo os reclamantes, há cerca de três meses a água tem um forte mau cheiro. Amostras coletadas em três pontos do córrego que desemboca no Tibagi e outras do próprio Tibagi foram enviadas para análise. Segundo o tenente da Polícia Ambiental, Henrique de Sá Ribas, o laudo com o resultado das análises deve ficar pronto entre 10 e 20 dias.

O tenente explica que, por enquanto, embora haja indício de poluição no córrego, não é possível afirmar que a água esteja contaminada e nem que a Sanepar seja a responsável. Ele frisa que existe uma Estação de Tratamento próximo ao ponto fiscalizado e que as denúncias apontam para a empresa, mas apenas depois de ter o laudo em mãos a Polícia Ambiental vai buscar os responsáveis e tomar as providências legais. "Somente com a análise é que saberemos se foi a Sanepar ou um morador".

Caso os responsáveis sejam identificados, eles vão responder por lançamento irregular de efluentes líquidos sem tratamento no rio. A Polícia Ambiental deve enviar um documento à Promotoria Pública do Meio Ambiente informando a situação e cabe ao IAP multar os responsáveis. A multa tem valores que variam de R$ 5 mil a R$ 50 milhões, de acordo com a gravidade.

Sanepar

Em nota a Sanepar informou que a Estação de Esgoto Santa Bárbara está em fase de pré-operação e que as ligações de esgoto para esta Estação estão sendo liberadas gradativamente. O comunicado ainda diz que a Sanepar monitora a qualidade do efluente e que todas as adequações necessárias serão implantadas antes da operação efetiva da estação.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.