i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
RMC

Policial militar morre após ser baleado pela mulher

Carlos Murilo Galina foi encaminhado em estado grave ao Hospital Nossa Senhora do Rocio, em Campo Largo, mas não resistiu e morreu. Mulher disse que briga foi por ciúmes

  • PorAngieli Maros
  • 26/08/2014 09:45

Um soldado da Polícia Militar (PM), identificado como Carlos Murilo Galina, foi baleado na madrugada desta terça-feira (26) pela mulher, em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba. Segundo a Polícia Civil, a arma usada por Josiane de Almeida para disparar o tiro é de cautela do governo, ou seja, a que o policial utilizava para trabalhar. Ele foi socorrido, mas não resistiu ao ferimento e morreu por volta das 10 horas.

De acordo com o delegado Antônio Macedo Júnior, titular da Delegacia de Campo Largo, a mulher confessou o crime. Em depoimento, ela contou que a briga entre eles começou por causa de ciúme.

Conforme o depoimento, o policial teria ido buscar a mulher na casa dos pais dela, na noite desta segunda-feira (25). Ela disse ter passado todo o final de semana lá depois de uma briga entre o casal.

Ao chegarem em casa, de acordo com a autora dos disparos, eles fizeram um churrasco. Antes de irem dormir, no entanto, começaram a brigar novamente. O policial teria desconfiado de supostas traições da mulher. Por isso, o casal começou a discutir. Josiane contou então que o marido tentou enforcá-la, além de agredi-la física e verbalmente.

Depois da discussão, o policial pegou a arma e apontou para a mulher, que estava com o filho deles, de dois anos e oito meses, no colo. Ele teria até mesmo engatilhado o revólver, mas não atirou. Depois de um descuido do homem, Josiane conseguiu pegar a arma e disparar. O policial levou um tiro e, ainda consciente, pediu para que a mulher chamasse por socorro.

Segundo o delegado, Josiane não resistiu à abordagem policial. Ela foi presa em flagrante e está detida na Delegacia de Campo Largo.

O policial, que era lotado no 17º Batalhão e ingressou na PM em 2012, foi encaminhado em estado grave ao Hospital Nossa Senhora do Rocio, mas não resistiu e morreu na manhã desta terça-feira.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.