i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Trechos dúbios

Projeto que poderia facilitar aborto é aprovado com modificações na Câmara

  • Por Leonardo Desideri
  • Brasília
  • [09/07/2020] [21:56]
  • Atualizado em [15/07/2020] às [15:59]
criança recém nascida
Projeto de Lei 1.444/20 foi aprovado na Câmara com modificações.| Foto: Unsplash

A Câmara aprovou com modificações, nesta quinta-feira (9), o projeto de lei 1.444/20, que continha trechos dúbios que poderiam facilitar a prática do aborto no Brasil. O trecho mais polêmico, que falava em “saúde sexual e reprodutiva” – expressão frequentemente usada em documentos oficiais por partidários da legalização do aborto para abordar o tema de forma velada –, foi removido do texto.

O objetivo declarado do projeto é estabelecer “medidas emergenciais de proteção à mulher vítima de violência doméstica durante a emergência de saúde pública decorrente da pandemia do coronavírus”.

Foi retirado do documento um trecho que falava na criação do “Programa de Aluguel Social Emergencial”, considerado como uma espécie de “bolsa aborto” por ativistas da defesa da vida, e que previa uma “rede de proteção” para as vítimas de violência. Parlamentares pró-vida consideravam que esse trecho contido no texto anterior do projeto facilitava a utilização de recursos para a prática do aborto.

Outro trecho removido falava em um “canal exclusivo para atendimento psicológico das mulheres em situação de violência doméstica e familiar”, chamada de “disque aborto” pelos deputados pró-vida. O governo federal já tem um serviço do tipo, gerido pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e os parlamentares consideraram desnecessária a criação de um novo canal.

O projeto, que teve relatoria de deputada federal Natália Bonavides (PT-RN), segue agora para apreciação do Senado.

Modificações no texto

Alguns deputados da Frente Parlamentar em Defesa da Vida da Câmara consideraram as modificações suficientes, enquanto outros manifestaram sua insatisfação com a rejeição de uma emenda proposta pela deputada Chris Tonietto (PSL-RJ), que visava deixar explícito que o aborto provocado não poderia ser praticado com base nesse projeto.

Para o deputado Francisco Jr. (PSD-GO), o projeto tal como foi aprovado protege tanto a mulher como as crianças em gestação. “O esforço que nós fizemos foi para afastar qualquer tipo de interpretação que possa colocar em risco qualquer uma dessas vidas”, disse.

Já o deputado Filipe Barros (PSL-PR), um dos principais opositores do PL 1.444 dentro da Câmara, considerou que a vitória não foi completa. “Reconhecemos o avanço que foi feito, mas nós nos sentiríamos muito mais confortáveis se tivéssemos incluído no texto a cláusula que veda a utilização dos recursos para qualquer tipo de aborto provocado”, afirmou.

Estratégia de grupos favoráveis ao aborto é camuflar linguagem, diz Filipe Barros

Em entrevista à Gazeta do Povo, o deputado Filipe Barros afirmou que a tática de parlamentares pró-aborto no Congresso tem sido a de usar recursos de linguagem para fazer a pauta abortista avançar paulatinamente no parlamento. “A estratégia é ir tentando, aos poucos, legalizar o aborto, claro que sempre camuflando a linguagem para não parecer que estão falando de aborto”, diz.

Para ele, “os defensores da legalização do aborto já perceberam que, no Brasil, não vão conseguir aprovar” projetos de lei expressamente favoráveis ao aborto. “Isso não vai acontecer porque o Congresso, com todos os defeitos que tem, tem maioria conservadora, contra o aborto, o que reflete, inclusive, o anseio da população brasileira”, afirma.

Segundo Barros, há duas frentes de lobby pró-aborto em paralelo no governo: uma delas no Poder Legislativo, e outro na Judiciário. “Em especial o Supremo Tribunal Federal tem tido decisões desfavoráveis ao movimento pró-vida”, diz.

Projeto aprovado em conjunto com o PL 1.444 também tem pontos controversos

Durante a sessão da quinta-feira, logo depois da aprovação do PL 1.444, outro projeto que abordava a violência contra mulheres durante a Covid-19 foi votado na Câmara, o PL 1.552/20, de autoria da deputada Sâmia Bomfim (PSOL-SP).

Esse projeto também foi alvo de controvérsia, por conta de trechos que falam sobre assegurar a mulheres vítimas de violência “o acolhimento em abrigo sigiloso provisório”, e sobre a possibilidade de inclusão dessas mulheres “em cadastro para benefícios e programas de renda, aluguel social ou no cadastro para a renda básica emergencial”.

Alguns deputados consideraram que o PL 1.552 poderia encurtar o caminho para a realização de abortos ao facilitar o atendimento de mulheres para esse fim sem a comprovação, por boletim de ocorrência, de que a mulher sofreu estupro. O aborto não é crime no Brasil quando a gestação resulta de estupro.

12 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 12 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • N

    Nico Gavelick

    ± 7 horas

    Eles nunca têm coragem de dizer com todas as letras o que estão defendendo.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Allan Jose Alves

    ± 11 horas

    A agenda agora é conservadora , família, vida, Deus, Liberdade.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Somente Verdades

    ± 11 horas

    Em um mundo com tanta informação e métodos contraceptivos, vários deles gratuitos, aborto não passa de covardia e irresponsabilidade, a última barreira para a completa banalização da vida.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    Daniel M

    ± 11 horas

    Em caso de estupro deve existir.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • T

    Thalles

    ± 11 horas

    Fico feliz em ver que a maioria do Congresso é contra o aborto e que não deixarão que os assassinos prevaleçam. Só tenho receio dos progressistas sem escrúpulos do STF, que não têm limites. Se, há anos atrás, o STF criou uma nova espécie de aborto à margem da lei (fetos anencéfalos), o que os impediria de possibilitar o aborto para todos os casos? Fiquemos sempre atentos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Josmar José dos Santos Júnior

    ± 12 horas

    "Hipócritas! Vejo que todos que defendem o aborto já nasceram!"

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    FRANCIELY

    ± 13 horas

    Aborto é crime!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Luís José Sousa

    ± 15 horas

    Temos de permanecer alerta. Pelas duas vidas, sempre!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jean

    ± 18 horas

    Foi uma vitória da vida, mas não podemos nos descuidar um minuto sequer, porque os inimigos da vida irão atacar novamente em breve.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Raphael Vianna Teixeira da Costa

    ± 21 horas

    Que nada passe sobre esse assassinato de seres humanos por mulheres desregradas...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Ferreira

    ± 22 horas

    é uma vitória, parcial, mas uma vitória. Continuemos de pé e na luta.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • T

      Thalles

      ± 11 horas

      Sim. É uma guerra infinita. Eles sempre estarão lá, prontos para aproveitarem oportunidades a fim de aprovarem o aborto, seja de forma explícita, seja de forma velada; seja integralmente, seja aos poucos. Não podemos baixar a guarda.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.