| Albari Rosa/Gazeta do Povo
| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Num trecho de menos de 50 metros da Rua Luiz Guimarães, no Grajaú, um pedaço da calçada é de cimento, outro de pedra portuguesa (foto) e, mais à frente, de placas de concreto. Em comum, só o problema: buracos, uma sucessão deles, exemplo de uma mazela que é de quase toda a cidade. Para mudar esse quadro de tantos obstáculos ao ir e vir, a prefeitura do Rio de Janeiro vai definir uma padronização para calçadas contíguas, aumentar as multas para quem deixar os passeios públicos danificados e também intensificar a fiscalização contra as irregularidades. Os valores mínimos das multas contra quem não cuida de suas calçadas passariam de R$ 50 para R$ 200 por metro linear. Além disso, os passeios com mais de três metros de largura terão de deixar 1,5 metro livre aos pedestres.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]