Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Agência RBS
| Foto: Agência RBS

Ao menos 51 pessoas morreram e nove ficaram feridas depois que um ônibus de turismo da empresa Costa & Mar, que ia União da Vitória (PR) a Itapoá (SC), caiu de uma ribanceira de 400 metros na região de Joinville (SC), no km 89 da rodovia SC-418, no fim da tarde deste sábado (14). O trecho é conhecido como Serra da Dona Francisca. Pelo menos três feridos estão em estado grave, segundo a Prefeitura de Joinville, onde as vítimas estão internadas. Os enterros começarão nesta segunda-feira (16).

Corpos serão enterrados em União da Vitória nesta segunda

Velório coletivo será realizado no Ginásio Benedito Albino, no bairro em que morava a maioria das vítimas do acidente com ônibus de União da Vitória

Leia a matéria completa

Governo de SC divulga lista de mortos

O governo de Santa Catarina divulgou, no início da manhã deste domingo, a lista com os nomes das 50 pessoas que morreram em um acidente com um ônibus de turismo de Guaratuba, na Serra Dona Francisca (quilômetro 89 da rodovia SC-418). O veículo tombou em uma curva no fim da tarde deste sábado (14).

Leia a matéria completa

O grupo era formado por religiosos adeptos de umbanda e candomblé, que promoveriam um evento na praia da Itapoá, praia catarinense próxima a Guaratuba. A organização do evento era feita pelo Grupo de Umbanda Pai Xangô, de União da Vitória, que é filiada à Federação de Umbanda Candomblé e Angola (Fuca).O grupo deveria retornar ao Paraná ainda no domingo.

Dilma lamenta mortes em acidente de ônibus em Santa Catarina

A presidente Dilma Rousseff lamentou, neste domingo (15), a morte de ao menos 49 pessoas em um acidente de ônibus em Santa Catarina na tarde deste sábado (14). “É com pesar que soube da notícia da morte de 54 pessoas em um acidente de ônibus na Serra Dona Francisca, em Santa Catarina. Nesta hora de dor e sofrimento, quero apresentar meus sentimento

Leia a matéria completa

De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, o ônibus pode ter perdido o freio em uma curva fechada da serra, uma região turística do norte de Santa Catarina. O coronel Nelson Henrique Coelho, da Polícia Militar de Santa Catarina, disse que as possibilidades de encontrar mais sobreviventes “são mínimas”. O trabalho de resgate foi realizado na noite de ontem, interrompido em razão da falta de luz e seria retomado nesta manhã. Às 13h, a perícia iria ao local.

A identificação dos corpos foi feita pelo Instituto Médico Legal de Joinville, com a ajuda de familiares, que chegaram às 3 horas da madrugada deste domingo na cidade, levados pela prefeitura da cidade paranaense. Os corpos de 43 das 50 vítimas fatais estão sendo levados para União da Vitória. O translado de 33 desses corpos é feito por um caminhão frigorífico fornecido pelo estado de Santa Catarina. A previsão é de que ele chegue às 20h30 horas a União da Vitória.

O velório coletivo organizado pela prefeitura começa ainda na noite destE domingo, no Ginásio Benedito Albino, localizado no bairro São Cristóvão, onde a maioria das pessoas morava.

Feridos

Dos nove feridos, três estão em internados no Hospital Municipal São José, em Joinville. Danrlei Crespo Linhares, Rosângela Linhares e Lucas Kauan Vieira apresentam quadro estável. Outros dois estão no Hospital Dona Helena – mas o centro médico não emitiu boletins sobre o estado de saúde deles. Outros quatro já receberam alta hospitalar.

Entre as crianças, apenas um menino permanece internado na UTI do Hospital Infantil, em estado grave. Uma menina de dois anos recebeu alta ainda pela manhã e outras duas faleceram durante a noite.

Na espera pelos corpos, apreensão e desespero tomam familiares

Quase 24 horas após o acidente, o clima entre parentes reunidos no centro de apoio montado pela prefeitura de União da Vitória no quartel local da Polícia Militar é de desespero e apreensão pela chegada dos corpos ao local. Pelo menos 21 pessoas – entre familiares e amigos -- foram ao local desde a noite do último sábado, quando a notícia do acidente começou a se espalhar pela cidade.

O casal Jean Carlos Fernandes, 23, e Caroline Chula Fernandes, 21, perderam cinco parentes na queda do ônibus. Morrem o tio, a tia e uma prima do casal. Além da avó dessa prima e da filha dela. O objetivo, no momento, é tentar a liberar o corpo da criança, mas eles parecem sem rumo. “Estamos sem saber o que fazer. Perdidos”, disse Fernandes.

Já Marcelo Adão Marques Soares, 44, perdeu o irmão e a cunhada. Ele teve a notícia por volta das 23 horas de sábado e teve de conta-la a sua mãe, uma senhora de 77 anos. “Ela passou mal e está internada até agora. Tem um clima muito pesado na família. Mas estou aqui por que alguém precisa encarar a situação”.

Para quem quiser prestar solidariedade aos familiares ou ainda estiver em busca de informações sobre vítimas, o endereço do centro de apoio é rua Alexandre Schelene, número 101, no bairro São Basílio Magno, em União da Vitória.

Superlotação?

Ainda não há informações oficiais sobre a possibilidade de o ônibus da empresa Costa&Mar Turismo ter partido com superlotação. Mas a lista de passageiros indica que havia 62 pessoas a bordo para uma viagem interestadual que duraria sete horas, de União da Vitória até a praia catarinense de Itapoá. Alguns familiares das vítimas informaram que uma van teria quebrado também a caminho da praia de Coroados e os passageiros pegaram carona com o ônibus da Costa & Mar. A prefeitura de União da Vitória informou que não tem como confirmar essa hipótese, pois o dono da empresa também morreu no acidente, ele era o motorista.

O veículo modelo Scania K112, ano 1988, da empresa Costa & Mar desceu uma ribanceira de 400 metros na Serra Dona Francisca, na região de Joinville (SC). A capacidade de passageiros do ônibus não foi confirmada, mas o modelo pode ser adaptado para transportar, no máximo, 52 pessoas. “Mas teve gente que não embarcou e quem poderia dizer com certeza quantos passageiros embarcaram – o coordenador da excursão, Conrado Schier, e o motorista Cérgio Antonio da Costa – estão mortos também”, lamentou o presidente da Federação de Candomblé, Umbanda e Angola (Fuca), Antônio Piasson.

Luto em União da Vitória

Prefeitura de União da Vitória, município de origem das vítimas do acidente que deixou ao menos 50 mortos na Serra Dona Francisca, na altura de Joinville, divulgou, na manhã deste domingo (15), uma nota de luto, manifestando “sentimento de profundo pesar e sentimento de condolência às famílias que perderam parentes e amigos nessa tragédia”.

A nota também informa que as famílias das vítimas, que estão reunidas na Capela Mortuária, irão receber apoio psicológico de profissionais da secretaria de Saúde, “pelo tempo que for preciso”. A Prefeitura diz que colocou veículos à disposição das famílias que precisam se deslocar a Joinville para fazer reconhecimento de vítimas ou visitar feridos em hospitais.

Coordenador-geral da Fuca, Antonio José Piasson acompanha o trabalho de identificação dos corpos no Instituto Médico Legal (IML) de Joinville e relata que o clima entre os familiares é de comoção. “Estamos aqui para prestar o apoio necessário para os familiares. Lamento muito a tragédia”, disse.

A Fuca divulgou, em seu site, a seguinte nota de pesar: “A família umbandista está de luto, lamentamos a perda de 40 ( numero não oficial )irmãos de fé que no caminho para cumprir sua missão ,num lindo trabalho de praia que estava programado, suas vidas são ceifadas pela força do destino. coordenador da fuca seu Conrado e sua esposa Marise e mais outras pessoas que acompanhavam a comitiva que iria fazer um trabalho de praia que acontece anualmente na praia de Itapoa – SC .”

Curvas perigosas

Chamada também de Serra Dona Francisca, a SC-418 é repleta de curvas e considerada muito perigosa pelos motoristas da região. Cerca de 66 pessoas morreram em acidentes na via nos últimos cinco anos, sem contabilizar as vítimas deste sábado. A Serra Dona Francisca é reconhecida também pela beleza da vegetação ao redor, de Mata Atlântica. A dois quilômetros do local do acidente há um mirante turístico famoso na região.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]