i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Furto Universitário

UEM usa cadeado no rolo de papel

  • PorGesli Franco, da Gazeta Maringá
  • 25/10/2013 21:11
Solução para evitar o furto do rolo de papel higiênico foi trancá-lo com cadeado | Giuliano Agostinho Ridolfi/ Divulgação
Solução para evitar o furto do rolo de papel higiênico foi trancá-lo com cadeado| Foto: Giuliano Agostinho Ridolfi/ Divulgação

Passar o cadeado no suporte do papel higiênico para diminuir a quantidade de furtos nos banheiros da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Essa foi a solução encontrada há cerca de cinco anos pelo Departamento de Serviços e Manutenção da instituição, que diz não dar conta de repor tudo o que é levado. Além dos rolos de papel higiênico, álcool em gel e até sabonete líquido estão na lista dos materiais que mais "desaparecem".

Mesmo com a proteção no suporte de papel higiênico, o departamento não descarta a possibilidade de que pessoas retirem o papel do rolo para levar embora. No caso do álcool em gel e do sabonete líquido, que não têm estrutura antifurto, o desaparecimento é mais recorrente. Por isso, é comum, também, não encontrar esses produtos quando mais se precisa deles.

"A universidade tem 108 zeladores, mas eles precisam trabalhar, não podem fiscalizar o tempo todo. Tem gente que pensa que, pelo fato de a UEM ser pública, pode levar o que quiser", diz o diretor do Departamento de Serviços e Manutenção da UEM, Robson Rogers Moreira.

O furto, por si só, não é o único problema, mas desencadeia outros. A Vigilância Sanitária inspeciona o câmpus de tempos em tempos e exige que materiais básicos sejam oferecidos. Só que, segundo Moreira, por causa da índole de pessoas que passam pelos banheiros, a universidade é sempre "reprovada" na inspeção.

Moreira revela que o problema é antigo e que se agravou ao longo do tempo. Os banheiros são sempre os mais afetados, mas não são os únicos. "Levam o que for possível carregar. Se ninguém perceber, até móveis eles carregam. Há tempos, tivemos de gradear as janelas da biblioteca, porque as pessoas jogavam os livros pela janela e saiam para recolhê-los e levá-los para casa", conta.

Como o campus recebe comunidades interna e externa, é impossível saber se a prática é cometida por alunos ou visitantes.

O estudante de Física da UEM Giuliano Agostinho Ridolfi, de 21 anos, fez uma foto de um suporte de papel higiênico com o cadeado e postou no Facebook. Ele conta que, quando viu a estrutura de proteção, achou graça da situação, mas, depois de refletir, indignou-se. "Fiquei pensando na falta de civilidade das pessoas. Muitas vezes, quem faz isso não precisa fazer. Não é problema social, é de caráter."

Já a estudante de Se­cretariado Trilingue Fernada Leonel, de 25 anos, diz que acha um desrespeito. "É uma falta de consideração com quem realmente precisa usar os materiais. Nunca presenciei alguém furtando, mas vejo os cadeados e isso revolta."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.