i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Luto

Visionário, troca banco por jornal. E dá certo

  • PorMauri König
  • 22/08/2010 21:09

Só mesmo um visionário seria capaz de trocar um banco por um jornal. Essa decisão diz muito sobre o perfil empreendedor de Edmundo Lemanski, que em 1968 vendeu o Banco Comercial do Paraná para se dedicar à Gazeta do Povo, comprada seis anos antes em sociedade com o jornalista Francisco Cunha Pereira Filho, morto em março de 2009. Diante das dificuldades de conciliar os dois negócios, vendeu o banco para ficar com o jornal. Nunca se arrependeu, nem teria motivo. Com a Gazeta do Povo, Lemanski e Cunha Pereira deram início àquele que seria o maior conglomerado de comunicação do estado, a Rede Paranaense de Co­­municação (RPC).

Ao escolher o jornal, Lemanski talvez tenha feito mais pelo Paraná do que se tivesse continuado banqueiro. Discreto, não lhe incomodava o fato de a imagem da Gazeta do Povo estar mais associada ao sócio do que a ele. Não lhe tocavam essas picuinhas. Na época da aquisição do jornal, o Paraná não passava de um produtor de matérias-primas sem infraestrutura para escoá-las. O jornal não só testemunhou a transformação econômica do estado como deu sua contribuição para a concepção de um projeto estratégico de desenvolvimento. O Paraná passou de rural a industrializado também graças às memoráveis campanhas da Gazeta do Povo.

Entre seus múltiplos negócios, Lemanski nutria paixão por cavalos de raça, e a transmitiu para o filho Mariano, que foi vice-presidente da As­­sociação Brasileira de Cria­dores de Cavalos Crioulos.

Nascido em Porto Alegre, Edmundo Lemanski se mudou para Curi­tiba em 1945, aos 19 anos. Pensou em cursar Me­­dicina, mas o medo de sangue o fez mudar para o Direito.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.