Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
 | Orlando Kissner/ANPr
| Foto: Orlando Kissner/ANPr

O governador Beto Richa (PSDB) prometeu para daqui a cerca de um mês o lançamento de um pacto de concessões de rodovias estaduais à iniciativa privada. Segundo o tucano, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do estado está finalizando estudos, que incluem duplicações de alguns trechos. Richa citou a PR-280 (no Sudoeste) e a PR-092 (Norte Pioneiro) como possíveis estradas a serem concedidas a empresas privadas. Ao justificar a medida, o governador afirmou que a modernização da malha rodoviária paranaense é “uma forte demanda da sociedade”.

Aliás...

Na reunião do secretariado (foto) na manhã desta quarta-feira (5), Richa negou rumores de que pretenda fazer uma reforma no primeiro escalão. “Não há previsão alguma de novas mudanças em qualquer escalão do governo”, garantiu. Ao comentar o ajuste fiscal feito no primeiro semestre, o governo declarou que “o pior já passou”.

Conversa de elevador

Após mais de três horas de reunião do secretariado, a vice-governadora, Cida Borghetti (Pros), tomou o elevador do Palácio Iguaçu para ir embora junto com o secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, e outras autoridades que participaram do encontro. Eles tentavam combinar um almoço juntos. Cida chegou a perguntar se era Mauro Ricardo quem iria pagar o almoço para todos. Mas pela expressão dele, que apenas se calou, o Paraná não está com toda essa grana.

Emplacou o genro

Genro do líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), o advogado Ricardo Fenelon Junior, de 28 anos, teve o nome aprovado para ocupar um cargo na diretoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Durante a sabatina na Comissão de Infraestrutura, nenhum senador sequer questionou o parentesco. Na audiência, ele destacou sua experiência em ter atuado na Procuradoria do órgão, mas não mencionou que foi como estagiário. Nas últimas semanas, entidades de pilotos e servidores têm criticado o que chamaram de indicações políticas para a Anac.

Jogo rápido

A sessão desta quarta-feira (5) na Assembleia Legislativa teve menos de uma hora de duração. Nenhum deputado se inscreveu para discursar no pequeno expediente, período que os parlamentares têm para se expressar sobre temas gerais. A ordem do dia, que reúne os projetos a serem apreciados na sessão, tinha apenas sete itens – quatro deles concedendo título de utilidade pública para instituições de caridade.

Reajuste do Judiciário

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, promoveria na noite desta quarta-feira (5) uma reunião com presidentes de tribunais superiores na tentativa de construir um acordo sobre o reajuste dos salários de servidores do Judiciário. As negociações entre a Corte e o Ministério do Planejamento têm apontado um aumento na casa dos 40%, abaixo da linha de 56,4% a 78,6% aprovada pelo Congresso e veta pela presidente Dilma Rousseff. O STF tem pressa em obter uma solução para o caso, na tentativa de conter movimentos grevistas.

O governo faz as coisas, mas não está dizendo o que faz. O governo tem que se comunicar, porque, do contrário, fica parecendo que não está fazendo nada.

Luiz Claudio Romanelli (PMDB), líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná, para quem o Executivo estadual ficou “um longo período sem comunicação”.

Colaboraram: Ana Krüger e Luis Lomba.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]