Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Ricardo Berzoini voltou a defender a manutenção do orçamento do Bolsa Família para 2016. | Agência Brasil
Ricardo Berzoini voltou a defender a manutenção do orçamento do Bolsa Família para 2016.| Foto: Agência Brasil

Em entrevista coletiva após a reunião de coordenação política com a presidente Dilma Rousseff,na manhã desta segunda-feira (26), o ministro Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) disse que é possível fechar o Orçamento de 2016 sem cortar o Bolsa Família. Segundo ele, a sugestão do relator do Orçamento, Ricardo Barros, de cortar R$ 10 bilhões do programa está sendo respeitada pelo governo, mas não é a melhor opção.

“Há condições de fechar o orçamento do ano que vem, na minha opinião, sem recorrer a essa iniciativa. O Bolsa Família é um programa consolidado e reconhecido mundialmente. Portanto, não é a melhor hipótese, na minha opinião, para sofrer qualquer tipo de redução na sua disponibilidade financeira para 2016”, afirmou.

PF apreende documentos em busca no escritório de filho de Lula

Leia a matéria completa

Berzoini citou a desaceleração econômica da China e disse que a situação econômica do Brasil não pode ser vista de forma isolada. O ministro manifestou apoio ao colega da Fazenda Joaquim Levy, apontando que o governo acredita que as medidas anunciadas por ele levem à “estabilidade das expectativas”. A fórmula buscada pelo governo, de acordo com ele são: convergir a inflação para algo mais próximo da meta, angariar condições para reduzir as taxas de juros e construir um orçamento equilibrado.

Ele disse que a equipe econômica ainda não definiu qual será a nova meta fiscal do Brasil, nem tampouco o tamanho do déficit. “Não há inda definição por parte da equipe econômica que possa ser apresentada à coordenação política do governo. Essa questão deve seguir com a equipe econômica dialogando com o tribunal de contas e também buscando consolidar as expectativas macroeconômicas, expectativas de arrecadação para este ano e para o ano que vem, para que a gente possa definir esse número e apresentá-lo ao país”, disse Berzoini.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]