i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Investigação

Office boy suspeito de fraude contra filha de Serra diz que vai depor à PF

Ademir Cabral nega irregularidade e diz que tenta retomar trabalho. Ele diz que apenas transporta documentos e nem conhece Verônica Serra

  • PorG1/Globo.com
  • 10/09/2010 13:30

Apontado como co-autor da fraude que permitiu acesso aos dados fiscais de Verônica Serra, filha do candidato à Presidência da República José Serra, o office boy Ademir Estevam Cabral disse nesta sexta-feira (10) ao G1 que vai depor à Polícia Federal sobre o caso na próxima segunda-feira (13) pela manhã. Esse será o segundo depoimento do office boy. Cabral depôs na quinta-feira (9) à Polícia Civil e negou que tenha se envolvido em qualquer irregularidade.

Cabral passou a ser questionado desde que o técnico em contabilidade Antônio Carlos Atella atribuiu a ele a co-participação na fraude contra Verônica Serra. "Eu nem a conheço. Em hipótese alguma", afirmou o oficce boy. Cabral afirma que seu trabalho se resume a transportar papéis. "O que eu faço é levar a documentação e retirar a documentação", afirmou.

O office boy de 51 anos diz que tenta retomar a rotina. "Eu ainda trabalho no mesmo lugar. Ainda trabalho parcialmente, mas ainda vou conseguir trabalhar completamente", afirmou. "Tudo o que está acontecendo é um fato novo para mim, porque eu nunca tinha passado por isso antes e nem me envolvido com a polícia", afirmou.

A polícia colheu a assinatura de Cabral para comparar com a que existe em documentos apreendidos. O inquérito aberto pela Polícia Civil paulista apura a falsificação de documentos. A Polícia Federal apura quebra do sigilo fiscal de Verônica.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.