i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
"Mãe Curitibana"

Requião vetou programa no Paraná

  • 28/08/2010 21:01
Greca: deputado ficou de fora de vez da Assembleia. | Daniel Castellano / Gazeta do Povo
Greca: deputado ficou de fora de vez da Assembleia.| Foto: Daniel Castellano / Gazeta do Povo
  • Ducci: fora até o fim de semana.
  • Martin: ideia nasceu em Cambé

Ao eleger-se deputado estadual em 2002, o atual prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), concentrou esforços para tentar estadualizar o programa "Mãe Curitibana". Em 2003, ele apresentou um projeto de lei que seguiria em todo o Paraná os passos da iniciativa municipal. O relator da proposta na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia, deputado Elton Welter (PT), apresentou um parecer contrário à proposta.

Ducci, que fazia oposição ao então governador Roberto Requião (PMDB), decidiu enxugar o texto e focou apenas no direito da gestante ao conhecimento e vinculação da maternidade. O projeto, assinado em parceria com o então presidente da Assembleia Legislativa, Hermas Brandão (PSDB) acabou aprovado pelos deputados. Requião, no entanto, vetou a proposta.

"Ele alegava que não dava para implantar a vinculação da maternidade porque não eram todos os municípios que tinham maternidade. Mas era uma decisão claramente política", diz Ducci. A Assembleia derrubou o veto de governador e Brandão promulgou a Lei 14.352, em 10 de março de 2004.

A legislação, porém, foi ignorada por Requião até que, cinco anos depois, o então secretário estadual de Saúde, Gilberto Martin, lançou o programa "Nascer no Paraná: Direito à Vida", que garante maternidade de referência para cada parto, além de exames pré-natais. Nesse período, o "Mãe Curi­­tibana" serviu de modelo para o "Mãe Paulistana", em São Paulo, e o "Mãe Coruja", aplicado em Pernambuco.

Além disso, o "Mãe Pa­­ra­­­naense" consta do programa de Beto Richa (PSDB) para o governo do estado. Já José Serra (PSDB) reiterou a intenção de criar o "Mãe Brasileira" na primeira inserção que fez no horário eleitoral gratuito de televisão, no último dia 18.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.