i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
lava jato

Empreiteiro diz que propina pagou serviços de Dirceu

Dinheiro para consultorias seria descontado de comissões ao PT

    • RIO DE JANEIRO
    • Agência O Globo
    • 23/03/2015 10:58
    Ricardo Pessoa  (foto) disse  que os pagamentos a Dirceu eram descontados das comissões que sua empreiteira devia ao esquema. | Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
    Ricardo Pessoa (foto) disse que os pagamentos a Dirceu eram descontados das comissões que sua empreiteira devia ao esquema.| Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

    O presidente da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, disse em reuniões com investigadores da Operação Lava Jato que os pagamentos feitos à empresa do ex-ministro José Dirceu, a JD Assessoria e Consultoria, eram parte da propina paga no esquema de corrupção na Petrobras. Segundo Pessoa, que está preso na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, os pagamentos a Dirceu eram descontados das comissões que sua empreiteira devia ao esquema — o correspondente a 2% do valor de contratos com a Petrobras.

    O conteúdo dos relatos — que não integra as delações premiadas ou depoimentos formais — foi publicado ontem pelo jornal “Folha de S. Paulo”.

    Segundo Pessoa, após a contratação de Dirceu, o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, autorizava que os valores pagos à consultoria do ex-ministro fossem descontados da propina devida pela empresa.

    Inquéritos podem levar dois anos no STF

    Tempo estimado considera a chegada do caso à Corte e o julgamento da denúncia ou arquivamento

    Leia a matéria completa

    O jornal O Globo publicou, na semana passada, que o ex-ministro da Casa Civil recebeu, por meio de sua empresa de consultoria, R$ 1,45 milhão de Milton Pascowitch, citado pelo ex-gerente da diretoria de Serviços da Petrobras Pedro Barusco como operador de pagamento de propinas ao PT a serviço da empresa Engevix.

    Os pagamentos a Dirceu foram realizados em 2011 e 2012 através de uma empresa de Pascowitch, a Jamp Engenheiros Associados Ltda.

    O advogado de Ricardo Pessoa, Alberto Toron, disse ontem desconhecer os relatos do seu cliente: “Esse depoimento não foi prestado na minha frente. Desconheço, desconfio e vejo com profunda estranheza”.

    Já o ex-ministro José Dirceu disse à “Folha de S. Paulo” que sua consultoria prestou serviços legalmente e nega qualquer relação com os contratos sob investigação na Petrobras.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

      Receba Nossas Notícias

      Receba nossas newsletters

      Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

      Receba nossas notícias no celular

      WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

      Comentários [ 0 ]

      O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.