Edson Praczyk (PRB), 5º secretário da Assembleia, é  o representante do bloco independente na Mesa Diretora | Albari Rosa/ Gazeta do Povo
Edson Praczyk (PRB), 5º secretário da Assembleia, é o representante do bloco independente na Mesa Diretora| Foto: Albari Rosa/ Gazeta do Povo

Em ato anticorrupção, sociedade apresenta projeto de transparência

O movimento "O Paraná que Queremos" apresentará hoje, durante a manifestação contra a corrupção na política, um projeto de lei que estabelece mecanismos para garantir mais transparência na administração pública do estado. A proposta, elaborada pela Associação Paranaense dos Juízes Federais do Paraná (Apajufe) com o apoio da seção paranaense da Ordem dos Advogado do Brasil (OAB-PR), será entregue aos deputados estaduais que já se manifestaram favoráveis ao afastamento dos integrantes da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Paraná.

Leia a matéria completa

Apesar de ter sido um ato individual do PV, o pedido de cassação dos deputados Nelson Justus e Alexandre Curi refletiu no bloco partidário do qual a legenda faz parte na Assembleia. Composto por PV, PSB e PRB, o chamado "grupo independente" (que não faz parte da situação nem da oposição) decidiu "colocar à disposição" o cargo que ocupa na Mesa Diretora – a 5.ª secretaria, chefiada pelo deputado Edson Praczyk (PRB).

Segundo os parlamentares do bloco, seria incoerente manter uma cadeira na Mesa e, ao mesmo tempo, pedir a cassação de Justus e Curi. Na prática, porém, a entrega do cargo não representa o afastamento imediato do 5.º secretário, uma vez que o ato precisa ser aceito pela Mesa.

Durante a sessão de ontem, ficou evidente o descontentamento dos deputados do PSB e do PRB com o pedido protocolado pelo PV. Isso porque os dois partidos não foram previamente consultados a respeito da decisão dos verdes. "O PV quis sair na fotografia. Eles não nos consultaram sobre esse posicionamento", afirmou Reni Pereira (PSB), que é o líder do bloco. "Mas, se existe a opinião de que a manutenção dos membros da Mesa está atrapalhando as investigações, colocamos nosso cargo à disposição."

A entrega do cargo de 5.º secretário, entretanto, ainda não foi formalmente oficializada na Assembleia. De acordo com Reni Pereira, os parlamentares do bloco estão preparando um documento a ser entregue hoje a Nelson Justus.

Além disso, como o deputado Edson Praczyk foi eleito na chapa encabeçada por Justus – e não individualmente para ocupar o cargo –, o bloco não tem autonomia para deixar a Mesa Diretora por iniciativa própria. Essa decisão precisa ser tomada em conjunto pelos membros da Mesa. "Fico no cargo até que a Mesa se posicione sobre o assunto", disse Praczyk.

Ao fim da sessão, Pereira, Praczyk e Wilson Quinteiro (PSB) reuniram-se reservadamente com Justus para esclarecer a posição do bloco sobre o pedido de impeachment feito pelo PV. "Eles me disseram que não concordam com o posicionamento do PV. Me deram uma manifestação de apoio e não de pedido de afastamento", disse Justus, na única declaração que deu ontem aos jornalistas que acompanham as sessões da Assembleia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]