i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Caixa Zero

Ver perfil

A primeira é dos patos: Bolsonaro teve seu momento, agora é a hora dos adultos

  • PorRogerio Galindo
  • 18/07/2018 18:54
A primeira é dos patos: Bolsonaro teve seu momento, agora é a hora dos adultos
| Foto:

Em truco, usa-se muito uma expressão: a primeira é dos patos. Quem ganha a primeira mão pode ter gastado a carta boa antes do tempo, e o que conta é o final do jogo. O bom jogador, quem é esperto, age na hora certa, quando a coisa é pra valer.

Jair Bolsonaro (PSL) teve seus quinze minutos de fama. Apareceu, ganhou mídia, estrilou. Ganhou um cordão de puxa-sacos, foi declarado presidente eleito, causou arrepios e ranger de dentes. Agora, está prestes a voltar para mais perto de seu lugar.

À medida que a eleição se aproxima, fica nítido que se trata de um cavalo paraguaio. Aos poucos, os supostos aliados iam se afastando. De uma semana para cá, a coisa desmoronou. O suposto favorito não consegue sequer achar alguém disposto a ser seu vive. Nem no mundo político, nem nos quartéis.

Leia mais: Tucanos acusam Requião de pagar multa com fundo partidário

Agora é que a eleição vai tomando corpo – e é agora que os verdadeiros jogadores vão aparecendo. Os franco-atiradores vão se revelando vazios, sem apoios, sem tempo de tevê, sem dinheiro. E os adultos começam a entrar pesado na partida – justo na hora em que o jogo começa a valer algo. A valer a Presidência da República.

Não quer dizer que Bolsonaro não vá ter votos. Vai. Não quer dizer que deva ser ignorado – pelo contrário, é preciso entender como alguém tão distante de qualquer conceito democrático chegou tão perto de se tornar presidente.

A campanha de Bolsonaro também vai trazer consequências. Em seu rastro, surgiu uma direita extremada forte, que deve eleger bastante gente, principalmente para o Congresso, coim reflexo nos estados. Gente que provavelmente vai falar alto – embora não tenha número suficiente para mudar o rumo das coisas.

Muito se comparou Bolsonaro ao fenômeno Donald Trump. Mas é preciso manter as coisas em seus lugares. Trump teve nas mãos a máquina do Partido Republicano; Bolsonaro tem nas mãos o glorioso PSL, e mais nada.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.