Cassem Cunha à vontade. Ele já conseguiu o que queria
| Foto:

A cassação de Eduardo Cunha, se ocorrer, será um símbolo. Mas um símbolo raso, daqueles que funcionam apenas na superfície. Servirá para parecer que todo político culpado de crimes vai ser punido. Que o Brasil deixou de ser o país da impunidade. Será?

Para Cunha, a cassação significa o quê? Que perderá o mandato – temporariamente. Ou alguém acredita que isso significa o fim da carreira política dele? A separação das punições de Dilma, no impeachment, já serve de precedente para que Cunha não perca os direitos. Poderá se candidatar.

Mas Cunha não ficará com o nome manchado, perdendo eleitores? Seria muita ingenuidade acreditar que denúncias de corrupção tiram votos de candidatos de nicho. Vejam o que aconteceu no Paraná, depois das denúncias na Assembleia Legislativa, na série Diários Secretos: os denunciados continuaram basicamente com a mesma votação, ano após ano.

Além disso, Cunha poderia ter sua situação piorada por perder foro e passar a ser julgado em Curitiba. Sergio Moro é muito mais rigoroso do que o STF. Mas sua esposa e a filha já têm processo com Moro há tempos, e nada aconteceu. Pode ser que o juiz considere que não há provas?

Tem mais: Cunha poderá dizer que não está sequer sendo cassado por corrupção. E terá razão. A cassação que está em jogo é por quebra de decoro. Por mentira. Não por corrupção. Claro que a mentira foi para esconder atos de corrupção, mas isso facilita demais o discurso dele.

E, convenhamos, Cunha já conseguiu o que queria. Virou presidente da Câmara, virou “o malvado favorito” da direita conservadora e, principalmente, tem no currículo o impeachment da presidente Dilma – pode, inclusive, alegar ser vítima de perseguição, como tem feito.

Rico, celebrado por parte dos eleitores, possível candidato em 2018, Cunha pode até ser cassado. Mas continuará no PMDB que acaba de chegar à Presidência, continuará amigo de seus amigos, que não irão deixá-lo na mão. Até por ele saber demais. E disso ninguém duvide. Cunha sabe muito, e sabe jogar o jogo.

Achar que sua cassação é um alívio pode ser mera ingenuidade. Ele simplesmente fez o novo presidente da República chegar ao cargo. Alguém acha que ele ficará a pé?

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]