Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Brasil é o país que mais mata transexuais. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo.
Brasil é o país que mais mata transexuais. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo.| Foto:

Transexuais e travestis enfrentam uma dura realidade no Brasil. Segundo uma pesquisa do IBGE de 2016, a expectativa de vida dos transexuais é de apenas 35 anos. Isso representa menos da metade da vida do resto da população, que segundo a mesma pesquisa é de 75,5 anos. A vida dessas pessoas – mais vulneráveis – é breve como a vivida pelos brasileiros nas décadas de 1920 a 1930.

Os crimes de ódio contra transexuais são marcados pela brutalidade. A situação é agravada quando se leva em conta que muitos casos não são notificados. O Brasil é o país mais violento para os transgêneros: 1.731 homicídios ocorreram entre janeiro de 2008 e dezembro de 2014. Em 2016, foram 124 transexuais ou travestis assassinados no país, de acordo com a pesquisa realizada pela Ong Trangender Europe.

O caso de Dandara dos Santos é um exemplo do tamanho do problema que essa minoria enfrenta. Ela foi torturada e assassinada, no dia 15 de fevereiro de 2017, no Ceará por um grupo de homens. Na rua, em plena luz do dia. Eles gravaram as agressões e divulgaram as imagens em redes sociais. A crueldade das cenas expõe a falta de segurança que essas pessoas enfrentam. Dandara não foi a única, até maio deste ano outras 53 transexuais foram assassinadas.

Avanços

A cirurgia para redesignação de sexo pode ser feita pelo SUS desde que a portaria nº 457, de 2008 entrou em vigor. Porém a fila de espera é longa. Até o ano passado foram realizados 349 procedimentos hospitalares e 13.863 procedimentos ambulatoriais, segundo o Ministério da Saúde. Nesse ano o decreto de 2011 que dava direito ao uso do nome social foi transformado em lei.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]