i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Caixa Zero

Ver perfil

Requião vai ao STF para tentar derrubar reforma da previdência de Beto Richa

  • PorRogerio Galindo
  • 12/05/2015 11:54
Requião vai ao STF para tentar derrubar reforma da previdência de Beto Richa
| Foto:

Roberto Requião, PMDB, Eleições 2014O senador Roberto Requião (PMDB) decidiu que vai ao Supremo Tribunal Federal (STF) para contestar a decisão do Ministério da Previdência de não intervir no Paraná para derrubar a lei que reformou a previdência do funcionalismo público do estado. A reforma foi implementada pela votação na Assembleia Legislativa, no último dia 29. A votação chamou a atenção do país devido ao fato de 213 manifestantes terem saído feridos durante a votação.

O Ministério da Previdência emitiu parecer nesta segunda-feira dizendo que o novo plano de previdência do estado tem irregularidades. Curiosamente,o governo federal disse, por outro lado, que não pode interferir, derrubando a lei paranaense, devido a uma liminar dada pelo STF em 2006 sobre o regime previdenciário do estado. A liminar foi obtida na época do governo de Requião, que agora contesta o uso da liminar para este fim.

A liminar foi dada ao governo Requião na época em que o governo do estado se recusava a cobrar 11% dos aposentados e pensionistas paranaenses, como exigia lei federal. A liminar foi concedida pela ministra Ellen Gracie e referendada pelo plenário. No início de seu segundo mandato, aliás, o governo Beto Richa (PSDB), decidiu finalmente fazer a cobrança, o que tornaria a liminar desnecessária.

Segundo o entendimento do Ministério da Previdência e do governo do estado, porém, a decisão permite que o governo do estado decida sobre seu regime previdenciário sem que o governo federal intervenha. Para os aliados de Requião, porém, a interpretação é absurda. “A garantia é para não cobrar de aposentados, e não para quebrar o fundo”, diz Luiz Fernando Delazari, assessor jurídico de Requião no Senado.

De acordo com Delazari, Requião deve tomar duas medidas, embora tudo ainda esteja sendo estudado. A primeira, fazer uma representação administrativa ao próprio governo federal. A segunda, entrar como Amicus Curiae na Ação Cível Originária 830, que deu a liminar ao governo. A ideia é que o Supremo diga que a decisão de 2006 não tem nada a ver com a situação atual da previdência paranaense.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.