Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Campanha da Fraternidade 2021.
Campanha da Fraternidade 2021.| Foto: Divulgação

Na polêmica Campanha da Fraternidade de 2021, o arcebispo militar Dom Fernando, que possui, também, o posto de general de divisão, mandou um comunicado a todos os capelães militares: que não sigam a Campanha da Fraternidade, nem contribuam para ela.

A contribuição do Domingo de Ramos vai para obras assistenciais e sociais ligadas à pregação religiosa militar. É o que causou estranheza, pois há coisas lá que contrariam o livro de Gênesis, abordando essa história de ideologia de gênero, questões de aborto etc. Aqueles que levam a religião a sério também estranharam tanto quanto Dom Fernando.

Supremo é o único que não aceita crítica

O Congresso Nacional, deputados, senadores, vereadores, prefeitos, governadores, o presidente, todos sofrem críticas e, muitas vezes, críticas pesadas e diárias. E tudo bem. A vida continua. Essa é a democracia. O único que não aceita críticas é o Supremo.

Há, por exemplo, um tuíte de 2018 do General Villas Boas, de quando ele ainda era comandante do Exército. Na publicação, ele sequer cita o Supremo, mas repudia a impunidade e exige respeito à Constituição, à paz social e à democracia. O exército se mantém atento às suas missões institucionais. Mas o ministro Fachin, ao que parece vestindo a touca, afirmou que aquilo era "inadmissível, intolerável, inaceitável". Isso é, está praticando a intolerância. Quem pratica a intolerância não aceita crítica. Isso não tem nada a ver com a democracia.

Afinal, não surpreende, depois do processo das fake news, em que o Supremo se declara a vítima, o investigador, o denunciante, o juiz, o executor. Não sei como os professores de direito vão explicar isso nas faculdades. Tudo isso [as medidas tomadas pelo STF] foi feito com base no regimento interno, mas contrariando a Constituição, é claro.

Legislar sobre mar territorial

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul também não leu a Constituição, nem mesmo possui uma Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), porque tentou legislou sobre o mar territorial. E, como sabemos, o artigo 20º da Constituição estabelece que "são bens da união" o mar territorial. A União recorreu ao Supremo, que apontou para a Constituição, que, por sua vez, estabelece que não se pode legislar sobre isso.

Foi proibido pescar camarão na costa. A ligação que se faz é que as redes de camarão prejudicam a fauna. Porém, também não sabem que essas redes obsoletas já estão "caindo fora". A Secretaria da Pesca está incentivando, trabalhando, gastando um dinheirão para promover um programa de redes especiais modernas, que só pegam camarão. Que deixemos escapar tartarugas e outros animais marinhos.

Marinha e PF apreendem barco com cocaína

Por falar em marinho, o navio patrulha da Marinha capturou, a 270 quilômetros da Costa do Nordeste, um veleiro catamarã, com cinco brasileiros levando cocaína para a Europa. Sabe-se lá quantas viagens ele já havia feito antes de ser capturado.

Foi um trabalho conjunto entre a Polícia Federal, a Divisão de Narcóticos dos Estados Unidos, Portugal, Inglaterra, e a ação final da Marinha. A Marinha levou todo mundo preso para o Recife. É a Marinha fiscalizando a Amazônia azul.

Tecnologia na Amazônia

E na Amazônia Verde, em três semanas haverá satélites fazendo a cobertura de cada metro quadrado da Amazônia. Não só percebendo o subsolo, mas também fiscalizando cada chama, cada machadada, cada serra, e avisando ao Exército, à Marinha e à Aeronáutica para atuarem.

Agora, a tecnologia mais avançada do mundo está destinada a proteger a Amazônia. Por coincidência, vai possibilitar o encontro entre o presidente Bolsonaro e o presidente dos Estados Unidos, que em sua campanha eleitoral criticou o Brasil por causa da Amazônia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]