i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Francisco Razzo

Foto de perfil de Francisco Razzo
Ver perfil

Alguns motivos e bons livros para estudar História da Arte

  • Por Francisco Razzo
  • 04/03/2020 00:01
Detalhe de "Cristo na tempestade", de Rembrandt.
Detalhe de “Cristo na tempestade”, de Rembrandt.| Foto: Reprodução

Esses dias meu amigo Gustavo Nogy, que também é colunista aqui da Gazeta do Povo, me pediu uma lista de alguns bons livros sobre arte. Eu sempre fui fascinado por história da arte, e, como sempre, estou disposto a indicar livros para os meus generosos leitores. Então, por que não publicar esta pequena lista aqui (por sugestão do próprio Gustavo)?

Mas antes eu gostaria de falar de onde saiu meu interesse por arte, principalmente por pintura. Não sei se já contei isso, mas a minha primeira faculdade foi de Artes Plásticas. Para se ter uma ideia do meu envolvimento com a matéria, cheguei até a dar aulas de História da Arte durante uns três anos. Foi meu primeiro emprego como professor, no início dos anos 2000.

Engraçado é que quando eu estudava no ensino médio, lá nos anos 90, não era um aluno muito entusiasmado com os estudos. Nunca tinha passado pela minha cabeça virar professor, ainda mais de Arte e muito menos de Filosofia. Como um bom aluno medíocre, estudava por obrigação. Nenhum passo além de um preguiçoso senso de dever. Um aluno medíocre que tirava notas suficientes para passar de ano. Só isso. Falo sem nostalgia e ressentimentos.

Cristo na tempestade, de Rembrandt, é coisa fina, de abalar o coração gelado de qualquer ateu convicto

Minha primeira paixão pelos estudos nasceu em contato com a história da arte. Meus motivos pessoais foram despertados depois de me deparar com uma ilustração de Rembrandt, foi amor à primeira vista. Lembro-me exatamente da pintura: Cristo na tempestade. Coisa fina, de abalar o coração gelado de qualquer ateu convicto. Encontrei Rembrandt em um livro na prateleira empoeirada na casa da avó de um velho amigo.

O fato é que lá em casa ninguém era ligado nessas coisas de estudar arte. Exceto para meu pai, que foi músico profissional, arte era uma total perda de tempo. Coisa de gente ociosa e, claro, rica. Embora eu lutasse herculeamente com minha natureza ociosa, não éramos ricos. Então, estudar arte estava fora de um projeto de vida (para usar a expressão pedagógica do momento).

Quando comuniquei a minha família meu interesse em cursar Artes Plásticas na faculdade, foi como se eu tivesse anunciado o apocalipse. Enfim, tomei coragem e pedi a conta do meu primeiro emprego – numa importante indústria de papel. Minha mãe quase surtou. Minto: ela surtou. Afinal, rompi com a tradição pequeno-operária dos meus antepassados e me aventurei no universo irrelevante dos clássicos.

Ao chegar à faculdade, conheci um daqueles professores que fazem a diferença na vida da gente. Ele era um jovem francês. Chegou ao Brasil a fim de estudar a nossa Semana de Arte Moderna (para a qual eu nem dava bola) e, se não me engano, Anita Malfatti. Ele se apaixonou pela arte brasileira, e resolveu ficar. O jeito como ele ensinava, com didática e entusiasmo, mudou a forma como eu me relacionava com os estudos. É isso, estava decidido! Vou me dedicar a estudar História da Arte. E estudei com muito amor.

Meu embrião de biblioteca era basicamente composto de livros de história da arte e estética (aliás, entrei na Filosofia por causa da estética, mas essa é uma outra história). Mergulhei de cabeça nesse universo. E são justamente alguns desses livros que fizeram a minha cabeça que eu gostaria de indicar para qualquer interessado em conhecer um pouco mais de história da arte para além dos clichês típicos. Mas, antes de ler livros, não deixe de dar uma boa olhada nas obras de Ticiano, Tintoretto, El Greco, Caravaggio, George de La Tour...

Começo com o primeiro livro que me marcou de verdade: Significado nas artes visuais, de Erwin Panofsky. Trata-se de uma série de ensaios de um dos maiores críticos de arte. Panofsky foi um daqueles alemães muito eruditos e responsáveis por elevar a história da arte a um patamar de ciência humanística. Aliás, se não quiser ler o livro todo, leia apenas o ensaio que serve como introdução: A história da arte como disciplina humanística; ou, ainda, A alegoria da prudência de Ticiano, um exemplo primoroso de seu método, que trabalha com os conceitos de iconografia e iconologia. Tem em português pela editora Perspectiva.

Antes de ler livros, não deixe de dar uma boa olhada nas obras de Ticiano, Tintoretto, El Greco, Caravaggio, George de La Tour...

Outro autor de que gosto muito é Heinrich Wölfflin (ele foi discípulo de ninguém mais, ninguém menos que Jacob Burckhardt). Wölfflin tem duas obras recomendadíssimas, verdadeiras obras-primas da historiografia da arte. A primeira que indico é o magistral Conceitos Fundamentais da História da Arte. Nessa obra ele apresenta como se dá a evolução de alguns estilos, pelo menos aqueles que vão de Albrecht Dürer a Rembrandt. A outra é A arte clássica, dedicado aos grandes nomes da pintura italiana, como Leonardo da Vinci, Rafael e Michelangelo. A Martins Fontes publicou todas elas.

Um autor que li com muito entusiasmo na época da graduação foi o francês Pierre Francastel. Diferentemente de Wölfflin, ligado ao método mais formalista, Francastel foi mestre do que ficou conhecido como método sociológico, que busca examinar a obra de arte como um “meio de expressão e de comunicação dos sentimentos e dos pensamentos”, pois, como o próprio autor diz, “ao contrário de Wölfflin, que tende a considerar a função visual independentemente das outras funções intelectuais, acredito que seja necessário estudá-la em relação à atividade total do homem numa época determinada”. O livro recomendado é Pintura e sociedade. Também pela Martins Fontes.

Para fechar essa pequena série de indicações sobre arte, não poderia deixar de falar do grande E. H. Gombrich, autor de A história da arte. Sem dúvida um dos mais populares e bem escritos livros sobre história da arte. Ele cobre desde a pré-história até arte do século 20. Seus textos são primorosos e as ilustrações da edição brasileira da LTC são muito bem cuidadas. Vale cada centavo investido. É o tipo de obra para ostentar, fazer inveja e jamais emprestar para os amigos.

De qualquer forma, se não você não for ler esses livros agora, recomendo que guarde sempre essa lista com carinho. E tenha uma boa leitura!

Conteúdo editado por:Marcio Antonio Campos
12 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 12 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • C

    Celito Medeiros

    ± 5 horas

    Aos que costumam afirmar que o Brasil jamais ganhou um Prêmio Nobel direto da web: Sir Peter Brian Medawar (Petrópolis, 28 de fevereiro de 1915 — Londres, 2 de outubro de 1987) foi um biólogo britânico nascido no Brasil. Foi agraciado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1960, por pesquisar o sistema imunológico dos animais. É a única pessoa nascida no Brasil laureada com um Prêmio Nobel.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Rafael Paim

    ± 13 horas

    gostaria de sugeir um artigo sobre a estética (citada no texto), e sobre a beleza, a partir do pensamento de Sir Roger Scruton.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    DENISSON HONORIO DA SILVA

    ± 1 dias

    Nossa professor, por que esqueceste Giulio Carlo Arcan, história da arte italiana, trê s volumes. Ele foi escrito primeiramente para o ensino medio italiano mas incorporado às faculdades de arquitetura. Detalhe, possuem fotos de todas aquelas aldeias italianas onde foi o berço do renascimento. Escrito em linguagem acessivel. Mas há um problema, não se tem mais edições no Brasil.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • F

      Francisco Razzo

      ± 16 horas

      Ah sim, eu pensei em colocar o Argan, principalmente sobre Arte Moderna. Mas precisava acabar o texto. Enfim, bem lembrado!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    André R.

    ± 2 dias

    416 MILHÕES DE VOTOS NO BBB ! É a idiotia nacional estudando as artes dramatúrgicas ! Que povo culto !

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    André R.

    ± 2 dias

    AMÉRICA , 140 PREMIOS NOBEL ; BRASIL, ZERO NOBEL . Mas vamos estudar História da Arte, é mais charmoso ! Viva a turma da missanga !

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Celito Medeiros

    ± 2 dias

    Se eu tivesse este sobrenome, talvez eu arrasasse! Imagino uma assinatura em uma tela? Razzo! Deve saber que é o Direito Público que mantém as obras de Rembrandt e Van Gogh, não o direito DO público. Aí começam dois títulos: “As mentiras na História da Arte” e “Distante dos Ditadores das Artes”. Dois bons títulos, não? Alguns me odiariam por isto, nem todos e você amaria. Talvez a despeito de Duchamp ou Warhol, seria uma desconstrução bem além de uma ideia ou modelo de arte moderna, se realmente contemporânea ou Tecnologia nas Artes. Os livros indicados e os artistas, são tesouros para entender o que eu nem imaginava quando iniciei nas artes na década de 50.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Samyr

    ± 2 dias

    Estava interessado nesse assunto. Valeu

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Luciana Becker

    ± 2 dias

    Adorei o artigo e sua lista de livros de história da arte! Tb sou formada em Artes Plásticas e apaixonada pela história dos grandes pintores de todas as épocas e estilos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Paula Beatriz de Sa Borini

    ± 2 dias

    Obrigada! Já salvei todos os nomes na minha "lista de desejos".

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Clinton Borges

    ± 2 dias

    Que artigo maravilhoso! Amo arte e estava precisando de indicações de livros desta área. Espero ler mais sobre o assunto arte/estética/pintura aqui na colunas

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    ARIEL TEIXEIRA

    ± 2 dias

    Minha irmã que fazia moda tinha o livro do Gombrich. Ávido leitor, acabei lendo e me apaixonando pela história da arte. Vou procurar ler os outros

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.