i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Giro Sustentável

Foto de perfil de Giro Sustentável
Ver perfil
Giro Sustentável

As 4 Maneiras Mais Eficazes de Salvar o Planeta

  • Por Giro Sustentável
  • [01/08/2019] [15:31]
As 4 Maneiras Mais Eficazes de Salvar o Planeta
| Foto:

Por Rulian Maftum

Para salvarmos o planeta, o mundo que criamos precisa acabar. Tenho repetido esta frase já há algum tempo. Em geral ela provoca desconforto quando ouvida ou lida a primeira vez. Talvez você esteja sentindo isso neste exato momento. Então, deixa eu te contar um pouco como cheguei nisso, nesta ideia que, em um primeiro momento, pode parecer coisa de profeta do apocalipse.

É praticamente unânime na comunidade científica que o planeta está em perigo. Vivemos um processo de degradação da natureza e de mudanças drásticas no clima. Isso nem "Trump e seus Bolsonaros" questionam. Essa turma defende que as alterações são processos naturais e que a ação do homem não tem nada a ver com isso. Portanto, argumentam eles, podemos continuar com esse modelo atual de desenvolvimento baseado na total falta de vínculo com a natureza, no consumo exagerado e sem sentido e na prevalência do individual sobre o coletivo.

Bom, se você concorda com esta tese pode parar de ler o texto aqui mesmo, pois não acho que o que vem a seguir vai te interessar.

Agora, se você é daqueles que, como eu, defende que salvar o planeta passa pela revisão completa deste modelo de desenvolvimento quero te convidar para esta reflexão. Afinal, como eu e você podemos ajudar o planeta? O que eu preciso repensar na minha vida, no meu dia-a-dia?

E que tal se como resposta eu te apontasse quatro medidas: tenha uma alimentação mais vegetariana, não use carro, evite viagens de avião e tenha menos filhos.

Encontrei estas respostas em um estudo feito na Universidade de Lund, na Suécia. Um pouco assustadoras no começo, mas basta refletir um pouco para elas fazerem sentido. A partir de uma análise de diversos estudos sobre o aquecimento global feito nas últimas décadas, os pesquisadores concluíram que estas quatro ações são as que mais contribuem para a diminuição da nossa pegada individual de carbono e, portanto, as mais efetivas para ajudar o planeta a ficar menos quente no futuro.

Você deve estar pensando, mas e o que aconteceu com aquelas medidas que ouvimos tanto como reciclar o lixo, usar lâmpadas LED, usar menos plástico? Bom, isso continua valendo. O que os cientistas da Universidade de Lund perceberam é que existem escolhas individuais que geram mais impacto na batalha contra o aquecimento global. Ter uma dieta com menos carne, por exemplo, é oito vezes mais efetivo do que trocar as lâmpadas de casa por LED.  Já a troca de sacolas plásticas por sacolas reutilizáveis tem 1% do impacto em comparação a ficar um ano sem comer carne.

É claro que a decisão de usar menos plástico é bem mais fácil do que de deixar de usar o carro, ou pensar sobre a quantidade de filhos, ou a ir menos ao açougue. Mas lembro você que chegamos em um ponto bastante crítico em relação as mudanças climáticas que necessita de reflexões mais profundas de governos, empresas, grupos e de cada um de nós. Precisamos dedicar atenção especial ao que pode gerar resultados mais rápidos e duradouros. E isso representa repensar profundamente e constantemente nossa forma de consumir e de nos relacionar com o planeta.

Quer saber mais sobre o estudo? Leia o artigo completo: Seth Wynes, Kimberly A Nicholas. The climate mitigation gap: education and government recommendations miss the most effective individual actions. Environmental Research Letters, 2017; 12 (7): 074024 DOI: 10.1088/1748-9326/aa7541

*Artigo escrito por Rulian Maftum, jornalista, escritor e provocador. Especialista e palestrante em inovação, cidadania e sustentabilidade. Há 11 anos produz conteúdos sobre estes temas para emissoras de rádio e portais de internet. É diretor de Projetos do Impact Hub Curitiba e Multiplicador do Sistema B e pai da Julie, de 2 anos. Rulian Maftum é colaborador voluntário do Blog Giro Sustentável.

**Quer saber mais sobre cidadania, educação, cultura, responsabilidade social, sustentabilidade e terceiro setor? Acesse nosso site! Acompanhe o Instituto GRPCOM também no Facebook: InstitutoGrpcom, Twitter:@InstitutoGRPCOM e Instagram: instagram.com/institutogrpcom

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.