i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

João Frey

Foto de perfil de João Frey
Ver perfil

Boa notícia para o transporte: a queda de passageiros desacelerou

  • PorJoão Frey
  • 18/07/2018 15:25
(Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo)
(Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo)| Foto:

A queda de passageiros no transporte coletivo de Curitiba passou os últimos anos sendo apontada como principal causa do desequilíbrio financeiro do sistema. Entre 2011 e 2017 a redução de pessoas transportadas superou 25%. No primeiro semestre de 2018, essa queda finalmente desacelerou e, segundo a Urbs, dá sinais de estagnação.

Enquanto no período de março a junho de 2017 o sistema teve uma queda de passageiros de 12,2% na comparação com 2016, em 2018, na comparação com 2017, a queda foi de 3,18%.  Desde 2014 o número vem caindo num ritmo superior a 5%. Esses dados já levam em conta a greve que aconteceu em março de 2017. Portanto, a desaceleração da queda não pode ser atribuída à paralisação dos serviços.

LEIA MAIS: Em 5 anos, Curitiba perdeu 20% dos passageiros de ônibus; tendência é piorar

Outro dado relevante é que em 2018 também houve redução do déficit entre a previsão de passageiros feita pela Urbs e o número de transportados de fato. Esse encontro entre o que é planejado e executado é fundamental para dar equilíbrio financeiro ao sistema.

Para o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, a redução da queda é um fato a ser comemorado.

“Quando você tem essa estabilidade pode fazer cálculos para atrair mais passageiros, buscar a mitigação de custos, trabalhar o preço da tarifa. É excelente notícia para o transporte, para a Urbs e para a cidade”, afirmou.

LEIA MAIS: Com subsídio, Cida salva a pele de Greca e ajuda sua própria campanha

Segundo Maia Neto, diversos fatores influenciaram a redução da queda. Entre esses motivos está o fim da disparada da taxa de desemprego. Em Curitiba, 60% das passagens são compradas por empresas, portanto esse movimento interfere diretamente no número de passageiros.

O presidente da Urbs também defende que essa redução é consequência de medidas tomadas pela prefeitura. Ele elenca a renovação da frota, o congelamento da passagem em R$ 4,25 em 2018 e a regularidade na prestação de serviços, que faz com que o sistema ganhe credibilidade. Um exemplo foi que mesmo durante a greve dos caminhoneiros os ônibus continuaram a rodar em Curitiba.

O sindicato das empresas concessionárias do transporte coletivo, Setransp, faz análise similar à da Urbs. Em nota, o Setransp afirmou que o principal fator que explica a desaceleração é a situação econômica do país.

“O total de pessoas que perderam o emprego e, por consequência, o vale-transporte refletiu-se de maneira bastante significativa na passagem de 2016 para 2017. Em 2018, porém, o grande contingente de desempregados está oscilando na faixa dos 13 milhões, não se aprofundou de maneira tão expressiva quanto no ano anterior” afirmou, em nota, o sindicato.

Outra explicação dada pelos empresários é que a maior parte da migração de passageiros que deixaram o ônibus para utilizar aplicativos de transporte já aconteceu, portanto essa baixa já foi absorvida.

O Setransp também cita ações da Urbs que podem ter contribuído para a retenção de passageiros, com a retomada da renovação de frota e a implantação de nova linha Ligeirão.

Acompanhe o blog no Twitter. 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.