i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

João Frey

Foto de perfil de João Frey
Ver perfil
PSL

Como fica o partido de Bolsonaro no Paraná após rachar em Brasília

  • João FreyPor João Frey
  • 15/10/2019 08:05
O deputado Fernando Fracischini (PSL) ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PSL).
O deputado Fernando Fracischini (PSL) ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PSL).| Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

Desentendimentos que vinham crescendo há um tempo no PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, vieram à tona na última semana e revelaram um racha profundo na legenda. As trocas de acusações mostram haver disputa entre dois grupos: um ligado diretamente ao presidente; e outro ao comando da sigla. As altercações têm reflexos na política do Paraná, onde o PSL elegeu três deputados federais e oito estaduais, a maior bancada da Assembleia Legislativa.

Como atuam nacionalmente, os deputados federais Aline Sleutjes, Filipe Barros e Felipe Francischini estão diretamente envolvidos na questão.

Barros e Sleutjes atuam do lado bolsonarista do front. Os dois assinaram uma nota de apoio ao presidente que foi subscrita por outros 18 deputados. No texto, eles sustentam que “é preciso que a atual direção [do PSL] adote novas práticas, com a instauração de mecanismos que garantam absoluta transparência na utilização de recursos públicos e democracia nas decisões.”

LEIA MAIS: Todo o poder aos moderados: a parte das instituições que está funcionando

Desde a campanha eleitoral e especialmente após o começo da atual legislatura, Sleutjes e Barros têm se empenhado na aproximação direta com o presidente. As investidas deram resultado: a deputada de primeiro mandato hoje é vice-líder do governo na Câmara, e o também estreante Filipe Barros tem conseguido ocupar espaços, principalmente em postos onde Bolsonaro precisa de cães de guarda de suas ideologias, como na Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos e na CPI das Fake News. Numa eventual saída de Bolsonaro do PSL, os dois devem seguir os rumos do presidente.

No auge da crise interna, Barros, por exemplo, postou uma foto ao lado de Bolsonaro no jogo entre Palmeiras e Botafogo, no estádio Pacaembu, em São Paulo. Sleutjes optou por uma foto mais formal com o presidente, acompanhada da legenda “Sou 100% Bolsonaro”.

Ao contrário dos correligionários, Felipe Francischini tem agido de modo mais ligado às pautas do bolsonarismo que à figura do presidente Jair Bolsonaro. Na Câmara, por exemplo, além de ter conduzido a discussão das reformas da Previdência e tributária na Comissão de Constituição e Justiça – colegiado em que é presidente – tem articulado em favor do pacote anticrime de Sergio Moro e da autonomia da Polícia Federal. Procurado para comentar a crise, ele prefere não se pronunciar, mas algumas declarações recentes do deputado deixam claro que ele não está no lado bolsonarista da disputa.

Em entrevista ao Portal Metrópoles, afirmou ter sido “apunhalado pelas costas” ao saber que o governo vai encaminhar mudanças na regra de ouro via Senado. Outro ponto que demonstra insatisfações em relação ao governo é sua decisão de pautar na CCJ o projeto que dá autonomia à Polícia Federal. A ideia, que nos últimos anos era apoiada por Bolsonaro, parece ter sido deixada de lado após ele assumir a presidência.

Na dimensão narrativa, Francischini também se afasta do presidente. Enquanto Sleutjes e Barros deixaram claro nas redes sociais seu apoio a Bolsonaro, Francischini postou uma foto de um jantar ao lado do ministro Sergio Moro.

Bancada estadual

No Paraná, o PSL é comandado pelo deputado estadual Fernando Francischini, pai de Felipe. Sem outros quadros de tanto destaque no partido, Francischini, o pai, parece ter mais tranquilidade para garantir a unidade da legenda mesmo diante do racha nacional. Pelas contas de aliados, mesmo que Bolsonaro saia da legenda, o PSL do Paraná deve manter seis ou sete dos atuais oito deputados.

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 5 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • N

    Neanderthal

    ± 0 minutos

    Caiu a ficha muitos não se reelegeram

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Z

      Zyss

      ± 1 horas

      O partido não é do Bolsonaro é do Bivar que alugou a legenda...Qual a dificuldade nisso?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • A

        ADERVAL C FORSTER

        ± 2 horas

        *** ! Ego, ganância, o bicho-homem é de fato uma mxxxx

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        1 Respostas
        • Z

          Zyss

          ± 1 horas

          Tá falando do Bivar né?

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

      • C

        CARLOS FELIX

        ± 2 horas

        "... Bolsonaro precisa de cães de guarda para suas ideologias...". Com certeza quem precisa de uma reeducação no jornalismo é "correspondente" João Frey. Parece muito com o aquele militante galdino.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        Fim dos comentários.