i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Leonardo Coutinho

Foto de perfil de Leonardo Coutinho
Ver perfil

Brasil, América Latina, mundo (não necessariamente nesta ordem)

Recém-nascidos viciados em crack no Brasil. Bebês queimados vivos no México

  • Por Leonardo Coutinho
  • 08/11/2019 19:33
Menina observa caixões de Rhonita Miller e quatro de seus filhos, que estavam entre as nove vítimas do massacre em 4 de novembro no México
Menina observa caixões de Rhonita Miller e quatro de seus filhos, que estavam entre as nove vítimas do massacre em 4 de novembro no México| Foto: HERIKA MARTINEZ / AFP

A mistura de 1,5 litro de amoníaco, 150 ml de ácido sulfúrico, 6 quilos de cimento, 1 quilo de carbonato de sódio (barrilha), 300 litros de gasolina e 140 quilos de folha de coca trituradas tem como resultado 1 quilo de pasta base de cocaína. Mas antes de seguir adiante, leia novamente a lista de ingredientes. Pois bem. Não pretendo ensinar ninguém a produzir a droga, a partir desta descrição que está em um documento da Polícia Federal. A receita serve para fazer uma pergunta. Parece razoável a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no Brasil; ou o Food and Drug Administration, nos Estados Unidos, liberarem para o consumo humano um pó branco obtido dessa maneira?

O lobby pela liberação das drogas ignora (ou esconde) que o produto que eles sonham ver nas prateleiras dos supermercados é feito assim. Ah! É claro que em um cenário de legalização, a cocaína seria limpinha. Não mais produzida em “padarias”, como dizem os traficantes, mas processada segundo os mais rígidos controles industriais. Ok. Mas qual seria o custo final? Competiria com a droga proveniente das florestas da Bolívia, Peru e Colômbia?

Aqui um exemplo de algo bem menos complexo para mostrar que a droga legal não é capaz de fazer frente ao tráfico. Em 2011, o Estado do Colorado, nos Estados Unidos, liberou a produção e consumo de maconha. O sucesso parecia tão esplêndido que inspirou outros membros da federação a copiar o modelo. No Brasil – onde o barato é defender a descriminalização da maconha (e outras drogas) como solução para violência e superpopulação carcerária – a experiência americana sempre surge como muleta. “Até nos Estados Unidos…”.

Em entrevista à rede de rádios americana NPR, o promotor do Colorado, George Brauchler, fez uma descrição aterradora da legalização da maconha no seu Estado. O volume de droga ilegal não diminuiu. A quantidade apreendida dentro das divisas do Colorado não só aumentou, como também a droga plantada ali passou a ser traficada para outras partes dos Estados Unidos. A razão é simples: o custo final do produto ilegal é bem menor que o regulamentado. A enxurrada de cigarros contrabandeados que entra pela fronteira do Brasil com o Paraguai serve para exemplificar.

Os traficantes que antes tinham o trabalho duro de trazer a marijuana do México para o lado americano da fronteira agora têm uma base de produção dentro dos Estados Unidos. Nada mais cômodo. Os defensores da legalização da maconha transformaram o Colorado, a Califórnia e o Oregon em versões musculosas da pernambucana Cabrobó – cidade brasileira reconhecida como epicentro da produção nacional de maconha.

O mexicano Andrés Manuel Lopez-Obrador, AMLO como é conhecido, conquistou a presidência do México no ano passado tendo como uma das plataformas o fim da “guerra das drogas”, que segundo ele estava na origem da violência que faz de seu país um dos mais letais do globo.

AMLO assumiu o país em dezembro de 2018, ano mais violento da história do México, com saldo de 33.341 homicídios. No mês seguinte, como em um passe de mágica, anunciou. “Não há mais guerra no México. Estamos em paz”. De janeiro a setembro deste ano, já foram contados 26.000 cadáveres na “paz de AMLO”. É verdade que há uma tendência de redução em relação ao ano passado, mas nem de longe uma situação confortável para se chamar de pacífica.

No mês passado, as ruas de Culiacán, no estado de Sinaloa, foram palco de uma batalha que chocou até os mexicanos já calejados com a violência generalizada promovida pelos cartéis. Dezenas de criminosos fortemente armados enfrentaram as forças de segurança para resgatar o Ovidio Guzmán López, filho do líder do Cartel de Sinaloa, El Chapo. Apesar das negativas do presidente mexicano, as cenas não remetem a outra coisa que não seja guerra.

Aliás, sob a justificativa de preservar vidas, AMLO ordenou libertar Ovidio Guzmán. O chefe do Estado mexicano se rendeu ao chefe do estado paralelo que floresceu no México.

Nesta semana, o assassinato de três mulheres e seis crianças, entre as quais dois bebês de 8 meses de idade, que foram queimados provavelmente vivos, voltou a jogar luz sobre a triste realidade do México. Traficantes picotaram a tiros os carros, nos quais viajavam as vítimas, e depois os incineraram. Houve quem conseguiu sobreviver ao ataque correndo pelo mato. Foram perseguidos e feridos.

As vítimas eram da mesma família – pertencentes a um núcleo de mórmons que se instalou no México nos anos vinte do século passado. Os assessores de AMLO tentaram explicar a brutalidade dizendo acreditar que as vítimas foram confundidas com traficantes rivais. Ou seja: não existe guerra no México, mas grupos de traficantes tomam de assalto cidades inteiras. São capazes de subjugar as forças do Estado. Fazem o próprio presidente se render frente ao crime. Atacam SUV com mulheres e crianças supostamente por pensar serem bandidos rivais. Mas no México não há uma guerra.

O presidente Donald Trump ofereceu ajuda militar para responder à barbárie dos cartéis. Mas AMLO agradeceu e disse: “um outro governo não pode intervir em nosso território”. Para o presidente mexicano, “o pior que pode acontecer depois disso é uma guerra”. Ele segue achando que já não existe uma. AMLO tem se mostrado propenso a liberar a produção e comércio de drogas como forma de enfraquecer o tráfico. A desculpa de sempre. Vai começar pela maconha e ver o que dá.

No Brasil, o debate sobre a legalização de drogas sofre do mesmo vício (com o perdão do trocadilho). Legalizar para vencer os traficantes. Não existe lugar no mundo onde isso se comprovou. Uruguai? Holanda? No país sul-americano, a violência explodiu em níveis inéditos. No paraíso do maconheiros, a Holanda, o consumo legal veio acompanhado de tráfico humano, surgimento de cartéis locais a corrosão da segurança pública.

No Brasil, o PSOL carrega a bandeira da descriminalização do porte de drogas. Líderes da legenda entraram na Justiça para impedir comerciais sobre o pacote anticrime do Ministério da Justiça. Outros membros recorreram ao Judiciário para garantir o direito à propaganda de maconha nas redes sociais. O partido não esconde o que chama de preocupação com os direitos humanos dos dependentes químicos. Defendendo políticas de redução de danos que consideram que os viciados teriam uma certa capacidade de eles mesmo buscarem ajuda quando necessário.

Somente em um hospital de São Paulo, em 2018, eram realizados em média de 30 partos mensais em mulheres usuárias de crack. Essas crianças, que eram expostas à droga ainda no ventre materno, nascem dependentes químicas. Sofrem os mesmo efeitos de abstinência dos usuários adultos, com o agravante de que são apenas recém-nascidos. Nunca escolheram nada na vida.

Suas mães, na maioria das vezes são portadoras de doenças sexualmente transmissíveis como AIDS e sífilis. Sob efeitos de drogas e muitas vezes para conseguir mais drogas, elas são incapazes de pensar na necessidade de proteção nas relações sexuais. Mas na corrente daqueles que creem que os viciados têm que ter o direito garantido de serem viciados, essas pessoas têm todas a capacidade de decidir quando buscar ajuda.

Há guerras em curso no México de AMLO e Brasil do PSOL. Mas não são guerras contra o tráfico, como ambos insistem a acreditar. As tragédias mexicana e brasileira têm um fio condutor em comum. Os bebezinhos viciados do Brasil ou os carbonizados do México são vítimas do autoengano e da ideologia.

A guerra em curso é a dos traficantes. Para quem vai mandar mais. Precisamos realmente lutar contra eles, mas não vai ser liberando o consumo. Assumir que também é uma guerra de todos nós.

16 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 16 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • G

    GUSTAVO TAKESHI FUJIHARA

    ± 54 dias

    Só para entender a lógica do autor: A solução para o fim do citado contrabando de cigarro seria proibir a produção, distribuição e consumo legal do produto no país? O mesmo para quinquilharias chinesas?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Joao Paulo Rorato

    ± 54 dias

    Excelente! O livro do autor sobre Chaves é também excelente! O autor demonstra muito conhecimento quanto às mazelas ligadas à criminalidade na América Latina.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Claudia

    ± 55 dias

    Excelente texto!! Além dos efeitos nocivos da legalização das drogas, bem descritos pelo jornalista (tráfico humano, surgimento de cartéis locais, corrosão da segurança pública), tem ainda a destruição do sistema de saúde pública com a erosão do tecido social que o consumo de drogas provocam. Aliás, no livro do Leonardo Coutinho, ele descreve como Fidel Castro fez parceria com Pablo Escobar para distribuírem drogas nos EUA, com o intuito de destruir o sistema de saúde norte-americano. Essa parte do livro tem relatos muito assustadores.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Pablo

    ± 55 dias

    Parabéns pelo artigo! Muito sensato, fundamentado e excelente para desmistificar argumentos fantasiosos dos defensores da liberação das drogas. Pena que a ideologia de esquerda não admite contraponto. Não sei qual o aspecto favorável vislumbram nas drogas. Esse país é uma vergonha e as pessoas que defendem o uso de drogas são a pior espécie. Independente do nível intelectual ao qual pertencem. Fui aluno de direito da UFPR e mesmo lá ouvi professores falando em "drogas sociais" e defendendo a liberação das drogas "recreativas". Absurdo!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Maquiavel

    ± 55 dias

    Os maconheiros esquecem que por sua “ liberdade de escolha” de se drogarem, é que nosso país lixo é um dos campeões mundiais de violência, pois 90% é gerada por fatores ligados ao tráfico de drogas!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Maquiavel

    ± 55 dias

    Excelente artigo, muito esclarecedor!! Um tapa na cara dos malditos esquerdistinhas fãs do molusco, que defendem maconheiros!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • M

      Maquiavel

      ± 55 dias

      Só esperando os comentários dos maconheiros de plantão dando likes negativos...

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    All Jr

    ± 55 dias

    Parabéns pela matéria! Direto ao ponto! Ficou bem claro que os efeitos nocivos do tráfico jamais desaparecerão com “legalização”: 1) se houver monopólio do Estado na venda, o tráfico continuará a existir como forma de se obter droga com custos menores e traficantes não vão desistir de recursos e poder (ou seja, a guerra continuará); 2) se abrir o mercado, restará oficialmente formada uma nova classe que obterá poder político escancaradamente (já que traficantes tem poder econômico, o político ainda sofre restrições pelo crime), institucionalizando-se um NarcoEstado, e com a manutenção da guerra, pois continuarão dis****ndo mercados. Ambas significam uma tragédia.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • V

    Valdemar Katayama Kjaer

    ± 55 dias

    Liberar drogas sem me liberar de pagar a conta, nem pensar. Sou eu quem paga SUS pra tratar noiados e suas crianças sequeladas, tenho de aceitar falta ao trabalho com atestado ou pagar multa pra demitir um noiado que é uma porcaria de empregado, tenho de pagar conselho tutelar e “rede de proteção social” pras famílias destruídas pelas drogas...e temhonde arcar com os prejuízos de crimes cometidos sob efeito de drogas ou pra comprar drogas. Me livrem dessa conta que eu serei o primeiro a fazer passeata pra liberar drogas a quem quiser. Lei da seleção natural talvez faça bem ao Brasil.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Paulista

    ± 55 dias

    Parabéns, essa é a realidade, nua e crua, só não vê quem não quer.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    LUIZ FLORIANO

    ± 55 dias

    Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    4 Respostas
    • M

      Maquiavel

      ± 55 dias

      Mierda é seu comentário!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • P

      Paulo A. Guérios

      ± 55 dias

      Não leu... E fumar, já fumou?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • J

      JESIEL

      ± 55 dias

      Fume o teu é relaxe

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      André PC

      ± 55 dias

      Pelo jeito um maconheiro dando opinião....

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    FRANCIELY

    ± 55 dias

    PSOL representa a bandidagem! Tráfico é guerra e para isso nossa constituição federal autoriza a pena de morte, que deve ser a pena para traficante.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.