Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O lamen, especialidade do chef André Pionteke, agora pode ser finalizado pelo próprio cliente, que recebe o kit e monta o prato em casa.
O lamen, especialidade do chef André Pionteke, agora pode ser finalizado pelo próprio cliente, que recebe o kit e monta o prato em casa.| Foto: Fernando Zequinão/ Gazeta do Povo

Aos poucos, todos os chefs, cozinheiros e restaurantes vão se adaptando às barreiras impostas pelos protocolos de isolamento forçado, que têm por objetivo estancar (ou tentar, pelo menos) o avanço de contágio da Covid-19.

Semanas atrás, quando ainda havia permissão para funcionamento de restaurantes – com cuidados e restrições -, fui conhecer o menu-degustação da Kitsune, a casa do criativo chef André Pionteke, aquele que o Brasil todo conheceu e por quem se encantou numa das edições do MasterChef Profissionais.

Foi uma experiência inesquecível e os sabores e texturas parecem ainda vir cada vez que penso na sequência de pequenos pratos ou revejo as fotos. Veio primeiro um Sunomono, depois um Blinis de massa de banana-da-terra, com cobertura de siri, tucupi e capuchinha. Daí, Disco de tapioca, kimchi, fatias de coração bovino, mini milho fermentado e aïoli de kimchi. Finalmente, Udon (massa), amendoim, capim-limão, ervas no óleo quente e dourado.

Um dos pratos que degustei na Kitsune: Udon (massa), amendoim, capim-limão, ervas no óleo quente e dourado.
Um dos pratos que degustei na Kitsune: Udon (massa), amendoim, capim-limão, ervas no óleo quente e dourado.| Foto: Anacreon de Téos

Na ocasião, Pionteke me dizia que a ideia seria apresentar menus como aquele a cada duas semanas, sempre nas quartas e quintas. Achei a ideia ótima, mas, dias depois, veio o anúncio da bandeira vermelha e Curitiba se fechou.

Como esse povo da cozinha é guerreiro e não se entrega, a solução chegou dias depois. E agora o restaurante está anunciando que toda quarta e quinta o chef propõe uma imersão gastronômica, na qual traz à tona o conceito da Kitsune, a mistura entre a filosofia oriental e insumos de origem, com foco nos produtos da Mata Atlântica.

Chef André Pionteke, em tempos de pandemia.
Chef André Pionteke, em tempos de pandemia. | Foto: Divulgação

Trata-se de uma sequência de quatro tempos, entre entradas, prato principal e sobremesa, sempre com produtos frescos, escolhidos conforme a sazonalidade.

Para esta primeira semana o cardápio foi montado da seguinte maneira:

Um mimo de Kimchi e fritas -  chips de raízes, com alga e maionese de kimchi, para começar.

Abóbora, pulses e mel de jataí - abóboras grelhadas, mix de grãos germinados, com emulsão de mel de jataí e shoyu e furikake de amendoim.

Siri ao curry - dumpling recheado com siri catado, servido com leite de coco ao curry, fitas de coco tostadas e la-yu (óleo de gergelim apimentado).

Costelinha, misso, vegetais - costelinha glaceada com coentro e laranja, purê de misso caseiro, cenouras e palmito pupunha grelhados e mini milho fermentado.

Arroz-doce, mel de mandaçaia, manga e amendoim – arroz-doce com gengibre e mel de abelha mandaçaia e manga fresca.

O menu degustação completo custa R$ 240, para duas pessoas. A reserva deve ser feita com antecedência, apenas para take away – retirada no balcão.

A produção é limitada, de apenas 10 menus por dia. Portanto, aos interessados, quanto antes garantir, melhor. As encomendas devem ser feitas pelo telefone (41) 99703-6332.

Kitsune em casa

O Bao da Kitsune também está sendo produzido para o cliente ir buscar e finalizar em casa.
O Bao da Kitsune também está sendo produzido para o cliente ir buscar e finalizar em casa. | Foto: Fernando Zequinão/ Gazeta do Povo
O Kit Bao da Kitsune. É só seguir as instruções e finalizar o Bao de barriga laqueada em casa.
O Kit Bao da Kitsune. É só seguir as instruções e finalizar o Bao de barriga laqueada em casa. | Foto: Divulgação

Mas não é só isso, tem mais notícia boa. Independente do menu especial de degustação das quartas e quintas, a Kitsune agora está abrindo também para almoço. Para fornecer o almoço, claro, e não servir no local.

E propõe ainda mais: que o cliente monte em casa alguns dos favoritos do cardápio regular da casa, como o Lamen e o Bao (aquele pão oriental, feito no vapor), que podem compor tanto almoço quanto o jantar dos apreciadores – que não muitos.

O restaurante oferece uma caixa com todos os ingredientes dos preparos clássicos da Kitsune, desde o Tonkotsu lamen até o Bao de barriga laqueada, prontos para serem finalizados em casa. E com o toque lúdico de poder acompanhar a fusão de aromas e sabores que surge com a mistura final dos ingredientes.

O Tonkotsu lamen custa R$ 70 (para duas pessoas) e o cliente vai buscar uma caixa, que contém 700 ml de caldo de porco ou vegetariano, duas porções de massa de lamen fresca, dois ovos cozidos com gema mole temperados no shoyu, cebolinha picada, alga wakame e chashu (copa lombo cozido).

Junto, seguem as instruções. E esse lamen eu garanto, pois tanto já comi, feito pelo André Pionteke, quanto fiz em casa, seguindo uma receita que ele, tempos atrás, fez especialmente para o Bom Gourmet (quando era cozinheiro do Tuna e ainda adotava o nome de André Fontana) – confira a publicação e a receita aqui.

Para o Bao de barriga laqueada, a caixa da Kitsune contém quatro pães, maionese de kimchi, quatro fatias de barriga laqueada, kimchi e cebolinha. E, claro, as instruções para a finalização. Custa R$ 40, mas tem opção de oito pães, a R$ 70.

Receber em casa algo criado por André Pionteke, com o toque da cozinha asiática que ele tanto domina, é para poucos. E, como a produção é limitada, a Kitsune é muito pequena, ainda continua para poucos privilegiados que terão a chance de encomendar e ir buscar.

Blinis de massa de banana-da-terra, com cobertura de siri, tucupi e capuchinha.
Blinis de massa de banana-da-terra, com cobertura de siri, tucupi e capuchinha.| Foto: Anacreon de Téos

Kitsune

Rua Celeste Santi – Ahú

Instagram: @kitsune.cwb

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]