Tagliatelle com camarões flambados no Pernod, receita original do Chalet Suisse, reproduzida aqui e à disposição de toso.
Tagliatelle com camarões flambados no Pernod, receita original do Chalet Suisse, reproduzida aqui e à disposição de toso.| Foto: Anacreon de Téos

Palavra que nem tinha pensado nisso.

A ideia era fazer um jantar com as coisas que tinha em casa, na despensa, no freezer ou na geladeira – como diz o pessoal da Confraria do Armazém, ali tem de tudo e mais um pouco.

Mas aí precisei comprar Campari, para o meu Negroni básico e efetivo. Foi na Adega Brasil Delicatessen, aquela que fica lá no alto da rua Cândido Hartmann. O preço era bom, conferi antes e fui lá buscar.

Quando o vendedor – Diogo, se não me engano - me atendeu, perguntando o que eu desejava, respondi: “Duas coisas, uma que sei que você não tem e outra que sei que tem”. Seriam o Campari, claro, razão de ter ido lá, mais um Pernod, aquele destilado de anis que é praticamente uma marca nacional da França.

Brinquei com isso, pois da última vez que comprei lá, há três anos, as unidades estavam acabando e custavam R$ 180. Depois disso, sempre informavam que o importador não estaria mais trazendo. E fim de conversa.

Diogo primeiro me disse que não tinha mesmo, mas quando se dirigiu à prateleira para pegar o Campari, surpresa: não é que dá de cara com algumas garrafas de Pernod? “Estavam no estoque, o pessoal não sabia” – justificou. E como um destilado não tem prazo de validade, ali estava novamente à venda, rótulo meio rasgado e coisa a tal. E bem mais em conta do que há quatro anos: R$ 148.

Lembrei-me na hora do prato do Chalet Suisse, Tagliatelle com camarões flambados ao Pernod, que tinha me motivado a comprar ali pela primeira vez em 2017 (fiz um post sobre isso, confira aqui). Foi o Prato da Boa Lembrança daquele ano e última criação do chef Arthur Saredi, falecido em julho do ano passado.

Lembrei e salivei na hora. Já estava mudada a ideia desse jantar.

Pensei nos belos camarões na Pescados Keli Mozer, do Mercado Municipal de Curitiba, e o Paulinho Mozer me garantiu a compra. Pronto, o jantar estava afiançado. Foi só pegar um vinho branco da adega – um viognier - para gelar um pouco mais e saiu.

Insisti no Pernod, porque o Alexandre Saredi, do Chalet Suisse, filho do Arthur, já me disse daquela vez: “Só use Pernod ou Ricard (o outro pastis francês), pois com licor de anis não dá certo”. E cumpri, tanto que só fui fazer o prato novamente agora.

Não é por nada, mas é delicioso. Já tinha até publicado a receita naquela postagem anterior, mas agora dei uma ajeitada nas partes, para as pessoas poderem compreender melhor. E como ainda tem Pernod no estoque da Adega Brasil, dá para abonar.

O prato ainda faz parte do cardápio regular do Chalet Suisse e, com esses tempos de restrições, está sendo servido só no delivery, por R$ 120.

Aliás, antes da receita, um pouco sobre o Pernod. Trata-se de um destilado de anis que tem a ver com a história da França. Tanto quanto o Arak representa para alguns países do Oriente Médio. A diferença é que o Arak é incolor e o Pernod, amarelado. E ambos, em contato com água ou gelo (que não deixa de ser água), se tornam leitosos na composição.

Um drinque de Pernod ou Ricard (ou até Arak), leva ¼ da bebida e ¾ de água. É só misturar e curtir.

Uma medida de Pernod e quatro de água e gelo. Está feito um drinque de entrada.
Uma medida de Pernod e quatro de água e gelo. Está feito um drinque de entrada. | Foto: Anacreon de Téos

Vamos à receita, então?

Tagliatelle com camarões flambados no Pernod

Anacreon de Téos, interpretando receita do chef Arthur Saredi
Tempo de preparo40 minutos
Rendimento1 porção
PreparoFáci

Ingredientes

  • 200g de camarões grandes, limpos
  • ¼ de cebola picada
  • ½ tomate (sem pele nem semente) picado
  • 50 ml de Pernod
  • 2 colheres (sopa) de nata fresca
  • 1 talo de estragão (só as folhas)
  • 80g de tagliatelle
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 colher (sopa) de farinha de trigo
  • ½ xícara de leite integral
  • Sal e pimenta-do-reino branca (moída na hora, de preferência)

Preparo

  1. Cozinhe a massa em água salgada, de acordo com as instruções de embalagem.
  2. Derreta 1 colher (sopa) de manteiga e junte a farinha de trigo.
  3. Quando estiverem amalgamados e a farinha levemente dourada, junte o leite frio todo de uma vez, mexa bem com um fouet e deixe reduzir até atingir o ponto desejado. Se ficar consistente demais pode pôr mais leite.
  4. Reserve.
  5. Aqueça a outra colher (sopa) de manteiga e refogue rapidamente a cebola, até murchar.
  6. Junte os camarões e o tomate e refogue por 3 minutos.
  7. A seguir, flambe com o Pernod.
  8. Acrescente molho bechamel, a nata fresca, o estragão, a pimenta e o sal a gosto.
  9. Deixe ferver por 1 minuto e sirva com o tagliatelle cozido al dente.

(Ah, sim... nem me lembrei de tomar o Negroni, que tinha sido o objetivo de tudo desde o começo.)

Chalet Suisse – Cozinha Internacional

Rua Fancisco Dallalibera, 1428 – Santa Felicidade

Fone: (41)3364-7889

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=
Entre em contato com o blog:
Blog anterior: http://anacreonteos.blogspot.com/
Twitter: http://twitter.com/AnacreonDeTeos

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]